Pub

Açores 24Horas – Jornal Diário

15 de Agosto de 2017


joao ponte gacsO Secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou, em São Jorge, que o Edifício Sol, na freguesia dos Rosais, hoje inaugurado, é “um bom exemplo” da gestão dos recursos públicos e da cooperação do Governo dos Açores com diferentes instituições.

“Este novo equipamento é um bom exemplo na gestão dos recursos públicos, visto que no mesmo edifício estão agregadas diferentes valências, com vantagens evidentes nos custos da obra e, sobretudo, na comodidade para os cidadãos dos Rosais”, afirmou João Ponte na inauguração do imóvel, que envolveu um investimento de cerca de um milhão de euros.

No denominado Edifício Sol ficam instaladas, a partir de agora, a Junta de Freguesia e a Casa do Povo dos Rosais, assim como o Agrupamento de Escuteiros 975.

O imóvel dispõe também de um salão multiusos, que servirá de apoio para os ensaios do Grupo de Folclore dos Rosais, e um espaço para acolher o futuro Centro de Dia para os idosos da freguesia.

“Hoje, com a abertura deste novo edifício nos Rosais todos ganham. Ganham as instituições, que têm melhores condições para prestar importantes e insubstituíveis serviços aos seus concidadãos, ganha a freguesia e o concelho, que ficam mais ricos e mais bem preparados para vencerem os desafios do futuro”, salientou João Ponte.

Na sua intervenção, o governante frisou ainda que esta não é apenas mais uma obra que o Governo Regional inaugura em São Jorge, destacando que resulta da determinação, da parceria e da vontade de um conjunto de entidades que se uniram e trabalharam lado a lado.

João Ponte elogiou, também, o papel importante que as autarquias locais têm desempenhado nos Açores na implementação de políticas europeias de desenvolvimento regional e local, apoiadas pelos meios e instrumentos financeiros disponibilizados nos diversos quadros de apoio.

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou que a Região se tem distinguido do restante território nacional neste domínio pela alocação de verbas próprias aos municípios.

 

 

Açores 24Horas / Gacs

talholagoa1

Download PDF




vasco cordeiro gacsO Presidente do Governo dos Açores expressou hoje ao Presidente do Governo da Madeira sentidos pêsames pelas vítimas resultantes da queda de uma árvore no Funchal, assim como a solidariedade por mais esta provação que atingiu aquele arquipélago.

“Nesta hora de luto e de dor, quero enviar-lhe, em meu nome e no nome do Governo e do Povo Açoriano, os sentidos pêsames pelas vítimas mortais e a total solidariedade por mais esta provação que atinge esse arquipélago irmão”, referiu Vasco Cordeiro.

Na mensagem enviada a Miguel Albuquerque na sequência deste acontecimento que, “de forma tão inesperada quanto dramática, trouxe a dor e o luto à Região Autónoma da Madeira”, o Presidente do Governo dos Açores endereçou, ainda, os votos de uma rápida e total recuperação dos feridos.

 

 

Açores 24Horas / Gacs / Imagem de Arquivo

 

Download PDF




A queda hoje de uma árvore de grande porte no Largo da Fonte, na freguesia do Monte, concelho do Funchal, durante a festa em honra da padroeira da Madeira, provocou 12 mortos e 50 feridos, anunciou fonte oficial.

O anúncio foi feito pelo secretário Regional da Saúde, que tutela a Proteção Civil da Madeira, Pedro Ramos, que estava acompanhado pelo presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, num encontro com a imprensa, sem direito a perguntas.

Dez das vítimas mortais faleceram no local e as restantes duas no hospital.

Uma conferência de imprensa deverá realizar-se posteriormente na sede do Serviço Regional de Proteção Civil da Madeira.

Miguel Albuquerque anunciou que o Governo Regional realiza às 17:30 uma reunião extraordinária de emergência, em que serão decretados três dias de luto regional.

O incidente ocorreu cerca das 12:00, num local onde se concentram muitas pessoas para participar naquele que é considerado o maior arraial da Madeira, momentos antes de sair a procissão que foi cancelada.

Fontes no local referem que a árvore estava amarrada há dois anos e o tronco estava oco.

No ano passado as festividades de caráter mais profano deste arraial foram canceladas devido aos incêndios que afetaram o Funchal na segunda semana de agosto.

 

 

Lusa

Download PDF



14 de Agosto de 2017


rui bettencourtO Secretário Regional Adjunto da Presidência para as Relações Externas afirmou hoje, em Ponta Delgada, que o Governo dos Açores pretende aprofundar as relações com o Canadá, estruturando essa aproximação em três áreas fundamentais, nomeadamente as relações comerciais, a diáspora açoriana e o turismo.

Rui Bettencourt, que falava aos jornalistas no final de uma reunião com a Deputada Federal do Canadá Julie Dzerowicz, sublinhou que o encontro foi de “grande interesse para os Açores”, adiantando que a deputada manifestou disponibilidade em ser “aliada” dos Açores no Canadá.

Para o titular da pasta das Relações Externas, o acordo CETA, de livre comércio entre a Europa e o Canadá, que entra em vigor a 21 de setembro,”pode permitir um escoamento importante dos produtos açorianos, nomeadamente queijo e laticínios”.

“O Canadá é um país que importa estes produtos”, afirmou Rui Bettencourt, salientando que, com a quase abolição das barreiras alfandegárias com o CETA, estes produtos “têm um novo impulso”, acrescentando que a deputada Julie Dzerowicz “pode ajudar a operacionalizar esta exportação de produtos açorianos facilitados pelo CETA”.

Relativamente à diáspora açoriana no Canadá, Rui Bettencourt considerou que a deputada conhece a realidade e os atores açorianos que se encontram naquele país, pelo que será uma “ótima aliada” para colaborar na aproximação aos jovens da diáspora, que é uma das preocupações do Governo dos Açores.

Por outro lado, no que diz respeito ao turismo, o Secretário Regional afirmou que se pretende divulgar os Açores junto dos Canadianos, dado o potencial existente, que foi reconhecido pela deputada, e atendendo à localização do arquipélago a curta distância do Canadá, pelo que será desenvolvida colaboração nesta área, perspetivando-se um acréscimo do turismo canadiano nos Açores nos próximos anos.

 

 

Açores 24Horas / Gacs

talholagoa1

Download PDF



12 de Agosto de 2017


monica seidiA deputada do PSD/Açores Mónica Seidi questionou o Governo regional sobre o Plano Geral de Juventude dos Açores, um documento da responsabilidade do executivo que deve ser coordenado com os planos municipais de juventude existentes.

Segundo a social-democrata açoriana, a lei determina que este Plano Geral da Juventude dos Açores seja aprovado pelo Governo no 1º semestre de cada Legislatura mas, “tanto quanto é do conhecimento público, e passados 10 meses desde a tomada de posse, em novembro do ano passado, do Governo, o documento ainda não foi apresentado”.

“Sendo a Região Autónoma dos Açores a mais jovem do país, não faz sentido que o Governo deixe os jovens à mercê da sorte e negligencie o seu papel na construção de uma sociedade inclusiva, preparada e cada vez melhor. O Dia Internacional da Juventude, que se assinala amanhã, deve servir para uma reflexão séria sobre o que está a ser feito na Região em prol da juventude”, desafia.

Mónica Seidi, em requerimento entregue na Assembleia Legislativa dos Açores, solicita, por isso, ao executivo regional que “clarifique quando prevê apresentar e aprovar o Plano Geral da Juventude e que explique que entidades participaram na sua elaboração e que autarquias contribuíram com os respetivos planos municipais de juventude”, lembrando que o secretário regional Adjunto da Presidência para os Assuntos Parlamentares assumiu, este ano, a disponibilidade do Governo para rever o Decreto Legislativo Regional (N.º18/2008/A) “no qual é feito o enquadramento das políticas de juventude da Região por considerar que o mesmo poderá não corresponder às necessidades atuais da sociedade juvenil”.

Mónica Seidi frisa, de acordo com o artigo 33 do referido Decreto Legislativo Regional, cabe à Administração Regional o desenvolvimento de ações e programas facilitadores do acesso dos jovens ao mercado laboral e que cabe ao executivo estabelecer nos programas públicos uma reserva percentual a favor dos jovens em cada uma das medidas de incentivo ao emprego, bem como para a habitação.

“Que reserva percentual, e em números absolutos, de jovens na Região beneficiaram, até ao momento, das medidas de incentivo ao emprego e habitação jovem?”, questiona a deputada, que solicita ainda a descriminação dessas medidas.

 

Açores 24Horas / NI

talholagoa1

Download PDF




A Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE) instaurou 31 contraordenações e um processo-crime por falsificação de alimentos numa operação de fiscalização a talhos em todo o país, tendo ainda apreendido 191 quilos de carne.

 

“Como resultado das ações, foram fiscalizados 90 operadores económicos, tendo sido instaurados 31 processos de contraordenação e um processo-crime por géneros alimentícios falsificados”, lê-se no comunicado da ASAE, hoje divulgado, sobre as ações de fiscalização que decorreram em todo o país ao longo do mês de julho.

A polícia acrescenta ainda que “foram apreendidos cerca de 191 kg [quilos] de géneros alimentícios comercializados nestes estabelecimentos, tais como – enchidos, carne de bovino, produtos à base de carne e conservas” e “quatro instrumentos de pesagem, tudo num valor global aproximado de 3.000 euros”.

De acordo com a autoridade, as contraordenações devem-se maioritariamente a infrações como o desrespeito das normas higiénicas e técnicas, falta de rastreabilidade de géneros alimentícios ou falta de rotulagem.

As ações de fiscalização tiveram por objetivo a “verificação dos requisitos legais específicos da atividade, bem como das condições de armazenamento e de conservação de produtos alimentares, de forma a garantir o cumprimento dos requisitos gerais e específicos em termos de Segurança Alimentar”.

 

 

Lusa

Download PDF




micro-sismoA Proteção Civil e bombeiros dos Açores informou hoje que está a ser registada, desde sexta-feira, atividade sísmica a noroeste da freguesia da Ribeirinha, na ilha do Faial.

Em comunicado à população, o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros adianta, citando o Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores, que foram “registados nas últimas 24 horas um total de 48 eventos”, sendo que “nenhum dos eventos foi sentido pela população”.

Segundo a mesma nota, o evento mais energético foi registado às 05:41 locais desta sexta-feira, a seis quilómetros a noroeste da freguesia da Ribeirinha, atingindo uma magnitude 2,3 na escala de Richter.

 

 

Lusa

Download PDF




Coreia do Norte Kim Jong-unO regime norte-coreano garantiu hoje que quase 3,5 milhões de jovens e militares na reserva pediram para lutar contra os Estados Unidos, em plena ‘guerra de palavras’ entre Washington e Pyongyang.

 

O Rodong Sinmun, jornal do Partido dos Trabalhadores, escreveu que 3,47 milhões de estudantes, jovens trabalhadores e militares na reserva pediram para se juntarem às Forças Armadas desde dia 07, quando o regime norte-coreano anunciou duras represálias devido às novas sanções adotadas pela ONU.

Segundo o diário oficial, que discriminou os alistamentos por dias e províncias, os norte-coreanos “estão a levantar-se por todo o país” para retaliar “milhares de vezes” contra os Estados Unidos, de acordo com a agência de notícias sul-coreana Yonhap.

A Coreia do Norte tem uma população estimada em 25 milhões de habitantes e conta com um exército com entre 700.000 e 1,3 milhões de efetivos, um dos maiores do mundo.

Os meios de comunicação social norte-coreanos mostraram na quarta-feira imagens de uma mobilização de dezenas de milhares de cidadãos que desfilaram pela praça Kim Il-sung, em Pyongyang, com cartazes em defesa do líder Kim Jong-un e contra o mais recente — e mais duro até à data — pacote de sanções imposto pela ONU contra a Coreia do Norte pelos lançamentos de mísseis.

Segundo a agência de notícias norte-coreana KCNA, mobilizações idênticas repetiram-se por todo o país na quinta e na sexta-feira.

Pyongyang e Washington encontram-se em plena ‘guerra de palavras’, depois de os contínuos testes nucleares e de mísseis terem endurecido a retórica da Administração do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que, por várias ocasiões, admitiu a possibilidade de realizar um ataque preventivo contra o regime de Kim Jong-un.

Esta semana, a tensão subiu de tom, depois de Donald Trump ter prometido responder com “fogo e fúria jamais vistos” às ameaças da Coreia do Norte.

Pyongyang retaliou e anunciou um plano para atacar a ilha de Guam, em cujas bases norte-americanas se encontram estacionados caças bombardeiros que o Pentágono envia regularmente para a península coreana e que, na terça-feira, voltaram a voar perto da Coreia do Norte.

 

 

Lusa

Download PDF



9 de Agosto de 2017


coca colaNo âmbito da comemoração dos 40 anos da chegada da Coca-Cola a Portugal, a marca vai oferecer a todos os distritos de Portugal uma icónica garrafa “contour” em grandes dimensões decorada pelo artista visual Miguel Caiero, a.k.a. RAM, e o município da Ribeira Grande, na ilha de São Miguel, foi o local escolhido para a colocação da primeira garrafa comemorativa.

A icónica garrafa contour gigante, pintada à mão, ficará em exposição no Largo Hintze Ribeiro, no centro histórico da cidade, a partir desta quinta-feira, dia 10, onde no âmbito do Festival Monte Verde, tem inauguração agendada pelas 19h.

Com este gesto, a Coca-Cola pretende simbolicamente agradecer a todo o país o enorme reconhecimento da marca nestas quatro , ao mesmo tempo que sublinha a preferência dos consumidores, com uma iniciativa que cumpre uma das mais inovadoras e antigas características da sua essência, que é a ligação às artes visuais, o estímulo à produção artística contemporânea e a disponibilização para usufruto das populações de obras originais produzidas a partir de bens de consumo identificadores da cultura popular.

Ciente da sua responsabilidade social e corporativa, a Coca-Cola desafiou o artista visual Miguel Caiero, a.k.a. RAM a levar a cabo a decoração original de 20 garrafas com 2,5 metros de altura para poder devolver à população, sob a forma de obra de arte, a ligação emocional, carinho e fidelidade à Coca-Cola.

RAM decidiu trabalhar o sentido humano e a essência colorida da marca, exibindo estes 40 anos sob a forma de 40 círculos, que representam não só toda a nação, mas também todas as raças presentes em Portugal, referindo que “enquanto viajante que tem percorrido vários cantos do Mundo, sempre encontrou na Coca-Cola uma sensação de liberdade e é essa liberdade que as suas cores e traços significam”.

O artista adicionou ainda emblemáticos slogans usados pela Coca-Cola em Portugal nos últimos 40 anos, utilizando para isso uma vasta caligrafia gráfica baseada em letras de graffiti, representando todas aquelas frases que de alguma forma fazem parte da vida dos portugueses.

 

Sobre o artista:

RAM é o nome sob o qual o artista Português Miguel Caeiro (n. 1976) tem operado desde que começou a intervir clandestinamente nas ruas em 1997. Precursor do graffiti e arte urbana de cariz experimental, RAM tem trilhado um caminho singular na construção de uma linguagem inteiramente original no mundo da nova estética urbana. As suas explosões energéticas de cor e formas dinâmicas aproximam-se de uma action painting contemporânea impregnada de um visionarismo de raiz psicadélica, numa linha de intensa vitalidade que exprime a construção de realidades etéreas – projecções de um fértil imaginário do sub e inconsciente onde impera a força dinâmica e primeva da natureza.

Natural de Sintra, cresceu na intersecção entre o mundo natural e selvagem e o mundo urbano e civilizado. Com uma predisposição inata para complementar opostos, o seu trabalho reflecte a assimilação de ambos na criação de uma visão nova. Uma viagem pelo fantástico que começou com o fascínio pela arqueologia e os mundos perdidos que encontrou eco no seu anseio pela exploração, pela transcendência. Uma fusão de mistério e misticismo, viagem e aventura, expressão gráfica e visual, poesia em movimento. RAM é, aliás, um diminutivo de Ramsés, reflexo desse mesmo gosto pelos mundos antigos e civilizações perdidas. Com o tempo, porém, o nome tornou-se acrónimo, adquirindo um significado e importância que reflecte a sua realidade criativa presente com precisão: Rapid Aerosol Movement.

 

 

Açores 24Horas / NI

 

Download PDF




escola1Pela primeira vez desde 2009 o número de candidatos ao ensino superior na 1.ª fase do concurso nacional de acesso supera o número de vagas, com 52.579 proponentes para 50.838 vagas nas universidades e politécnicos públicos.

 De acordo com dados hoje publicados no portal da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES), 52.579 alunos entregaram candidatura para aceder ao ensino superior, mais 2.924 do que os 49.655 estudantes que o fizeram em 2016.

No final do dia de segunda-feira, penúltimo dia para concorrer à 1.ª fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior, o número de candidatos já era superior ao do ano anterior, com 50.593 candidaturas entregues.

É preciso recuar a 2009 para encontrar um concurso de acesso com mais candidatos do que vagas: houve 52.949 candidaturas para 51.352 vagas.

Nos últimos anos, sobretudo nos que coincidiram com um período de forte crise financeira e económica, em que o país esteve sob resgate e sujeito a uma intervenção externa, universidades e politécnicos públicos assistiram a uma quebra quer no número de vagas abertas, quer no número de candidatos.

Depois de quatro anos de declínio, o número de lugares disponíveis no ensino superior público recuperou ligeiramente em 2016 e este é o segundo ano consecutivo com um aumento no número de vagas, ainda que residual.

Uma das razões que pode contribuir para o aumento do número de candidaturas é a melhoria das médias registadas na 1.ª fase dos exames nacionais, sobretudo a português e a matemática, duas das disciplinas cujos exames mais contam como prova de acesso a universidades e politécnicos públicos.

De acordo com os dados da DGES, as 50.838 vagas abertas este ano representam um acréscimo de 150 lugares face a 2016.

A tutela apelou para um reforço na oferta de vagas em áreas como Tecnologias de Informação, Comunicação e Eletrónica — para promover a literacia digital e responder a novas necessidades do mercado de trabalho -, mas também em Física e Engenharia Física — neste caso por solicitação da Direção-Geral de Saúde, que identificou “uma elevada carência específica de profissionais especialistas em física médica e de peritos qualificados em proteção radiológica, o que provoca óbvias limitações atuais e futuras ao funcionamento do Serviço Nacional de Saúde”.

Depois de reduzidas as limitações à abertura de novas vagas nestas áreas, as instituições responderam, criando, no caso da Física e da Engenharia Física, 52 novas vagas em cursos já existentes.

O maior aumento foi registado no mestrado integrado em Engenharia Física da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, que no próximo ano abre 60 vagas, mais 25 do que no ano transato.

Os alunos que se candidatarem ao ensino superior público através do concurso nacional de acesso podem este ano escolher entre 1.062 cursos disponíveis.

“Ainda no regime geral de acesso ao ensino superior público, às vagas fixadas para o concurso nacional acrescem 656 vagas para ingresso em cursos em que, pela sua natureza, a candidatura é realizada através de concursos locais, organizados pelas instituições de ensino superior”, precisa a nota da DGES, referindo-se a cursos como os das escolas superiores de artes, cuja entrada se realiza, regra geral, mediante prestação de provas específicas.

Há 42.128 vagas para 952 licenciaturas, 8.547 vagas para 103 mestrados integrados e 163 vagas para sete cursos preparatórios de mestrado integrado.

Os resultados da primeira fase são divulgados no dia 11 de setembro, no portal da DGES, e seguem-se depois a segunda e terceira fases do concurso nacional de acesso.

 

 

Lusa

Download PDF




sataOs tripulantes de cabine da SATA Air Açores e Azores Airlines vão estar em greve diariamente a partir de sexta-feira, sempre que existir incumprimento da empresa, estando agendada uma paralisação geral entre 23 e 26, anunciou hoje o sindicato.

“Sempre que exista incumprimento, os tripulantes não se irão apresentar ao serviço”, disse o porta-voz do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), Bruno Fialho, em declarações à agência Lusa.

Na terça-feira, o porta-voz do grupo SATA, António Portugal, confirmou à Lusa que a companhia aérea açoriana recebeu um pré-aviso de greve para uma paralisação dos tripulantes de cabine de 23 a 26 de agosto convocada pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC).

Esse pré-aviso de greve é para a SATA Air Açores, que assegura a ligações aéreas entre as nove ilhas dos Açores, e para a Azores Airlines que faz voos de e para fora do arquipélago,

Hoje, o porta-voz do sindicato assegurou que foram enviados à empresa dois pré-avisos de greve, alegando que “qualquer trabalhador que vê o acordo da empresa e a lei a ser violada vai lutar” ou, caso contrário, “acaba numa escravidão, sem rei nem roque”.

Bruno Fialho explicou que além dos “incumprimentos diários da companhia” em relação ao acordo da empresa, a greve justifica-se devido à má gestão” da companhia aérea açoriana e “à forma como trata os trabalhadores”.

O porta-voz do SNPVAC especificou, por exemplo, que a SATA “não informa antecipadamente” se o tripulante está de prevenção às estadias ou não, o que “interfere em muito com a vida familiar das pessoas”.

“Existe uma situação prevista no acordo da empresa que estamos de prevenção diariamente para sermos chamados em caso de irregularidade de voo. Essa prevenção, tal como existe com os médicos, policias e bombeiros, tem determinadas especificidades, porque temos que saber antecipadamente se estamos de prevenção para irmos para fora de estadia ou se é para um voo de ida e volta”, afirmou.

Para o sindicato, esta situação coloca a nu a má gestão da empresa, uma vez que só acontece porque há falta de tripulantes, considerando que “a administração prefere perder milhões a cumprir o que está acordado”.

Ainda na terça-feira, o PSD/Açores denunciou que a SATA “está a bloquear todos os voos de 21 a 28 de agosto”, mas a companhia esclareceu que decidiu bloquear as vendas para dois antes e dois dias depois da greve de 23 e 26, para os voos que não fazem parte dos serviços mínimos, de modo a proteger os passageiros que eventualmente possam ficar afetados pela paralisação.

No entender do SNPVAC, trata-se de “mais uma manobra de publicidade para escamotear a má gestão” na empresa, sustentando que “os passageiros deveriam ter sido avisados desde 25 de julho”, dia em que foi entregue o pré-aviso de greve.

Bruno Fialho disse que o sindicato “não tem agendada nenhuma reunião com a administração”, mas já transmitiu à SATA e ao Governo dos Açores disponibilidade para reunir.

Os tripulantes de cabine da transportadora aérea SATA estiveram no início de junho em greve, convocada pelo SNPVAC, um mês depois de uma outra paralisação.

A Lusa tentou obter uma reação da SATA sobre o pré-aviso de greve a partir de sexta-feira, mas não foi possível até ao momento.

 

 

 

Lusa

talholagoa1

Download PDF



8 de Agosto de 2017


coreia usaO Presidente norte-americano, Donald Trump, avisou hoje a Coreia do Norte de que “é melhor não fazer mais ameaças aos Estados Unidos” ou “elas terão como resposta fogo e fúria como o mundo nunca viu”.

 

Trump emitiu a advertência durante uma sessão sobre dependência de opiáceos que decorreu no seu campo de golfe em Bedminster, Nova Jérsia, onde se encontra de férias.

O ministério da Defesa japonês e a imprensa norte-americana divulgaram hoje que a Coreia do Norte foi bem-sucedida na produção de ogivas nucleares miniaturizadas que cabem dentro dos seus mísseis, o que constitui um marco nos esforços de Pyongyang para se tornar uma potência nuclear de pleno direito.

As preocupações de Washington com as tentativas do líder norte-coreano, Kim Jong-Un, para alcançar o poder nuclear intensificaram-se no último mês, com a realização por Pyongyang de dois testes de mísseis balísticos intercontinentais, ou seja, com capacidade para atingir território norte-americano.

O regime norte-coreano assegurou na segunda-feira que o endurecimento das sanções das Nações Unidas não o impedirá de continuar a desenvolver o seu arsenal nuclear, ameaçando os Estados Unidos de que os “fará pagar mil vezes o preço do seu crime”.

Sob iniciativa de Washington, o Conselho de Segurança da ONU impôs à Coreia do Norte sanções que poderão custar-lhe mil milhões de dólares de receitas anuais, restringindo transações económicas fundamentais com a China, o seu principal aliado e parceiro económico.

O secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, excluiu um regresso rápido ao diálogo com Pyongyang, considerando que o novo pacote de sanções demonstra que a comunidade internacional perdeu a paciência com as ambições nucleares de Kim Jong-Un.

 

 

Lusa

Download PDF




florestaO Presidente da República promulgou hoje quatro diplomas para a reforma da floresta, alertando que as leis estão “longe de esgotar todas as atuações dos poderes públicos”, ressalvando que apenas a criação do cadastro florestal não suscita reparos.

Apesar de considerar que ainda havia trabalho a fazer na elaboração dos diplomas, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, justificou a promulgação dos mesmos com o “esforço de enquadramento jurídico e de ensaio de novas pistas para enfrentar antigos e não ultrapassados problemas”.

Incluídos na reforma da floresta do atual Governo, os quatro diplomas promulgados visam criar um sistema de informação cadastral simplificada, criar um regime aplicável aos baldios e aos demais meios de produção comunitários, alterar o Sistema Nacional de Defesa da Floresta contra Incêndios e alterar o regime jurídico aplicável às ações de arborização e rearborização.

No âmbito da promulgação destes diplomas, Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou que estas leis “conheceram um longo processo de elaboração, iniciado em outubro de 2016 e acelerado em junho deste ano, perante o dramatismo da realidade vivida”.

Ainda assim, o Presidente da República frisou que os diplomas promulgados estão “longe de esgotar todas as atuações dos poderes públicos no domínio versado”, advogando que “apenas um deles – o do cadastro – não suscita reparos”.

 

Lusa

 

Download PDF




futebolO Real Madrid, com Cristiano Ronaldo a entrar na segunda parte, venceu hoje o Manchester United, de José Mourinho, por 2-1, conquistando a Supertaça Europeia de futebol pela terceira vez em quatro anos.

Os espanhóis, vencedores da Liga dos Campeões na época passada e detentores da Supertaça Europeia, adiantaram-se com golos de Casemiro, aos 24 minutos, e Isco, aos 52, antes de Lukaku reduzir para os ingleses, campeões da Liga Europa, aos 62 minutos.

Depois de ter vencido o troféu pela primeira vez em 2002, os madrilenos, que tiveram Ronaldo no ‘onze’ a partir dos 83 minutos, venceram a prova de novo em 2014 e 2016, enquanto os ‘red devils’, orientados por José Mourinho, sofreram a terceira derrota na Supertaça Europeia, não conseguindo repetir o êxito de 1991.

 

 

Lusa

Download PDF




alexandre gaudencioA 13.ª edição do festival de folclore do Porto Formoso confirma o “crescimento” que o evento tem vindo a adquirir ao longo dos últimos anos, corolário do “bom trabalho que a organização tem vindo a realizar na projeção do mesmo além-fronteiras, referiu Alexandre Gaudêncio,  presidente da Câmara da Ribeira Grande que não poupou elogios ao grupo folclórico do Porto Formoso que “organiza um evento que ganha dimensão a cada ano que passa. Isso mesmo é visível pelo número crescente de grupos estrangeiros que marcam presença no festival”, acrescentou.

O festival internacional de folclore do Porto Formoso vai contar, este ano, com a presença de seis grupos, quatro deles estrangeiros, oriundos da Argentina, Hawai, Espanha e Índia, para além dos grupos do Livramento e do Porto Formoso.

Com início agendado para as 21.00 horas do próximo sábado, 12 de agosto, no porto de pescas do Porto Formoso, o festival de folclore promete juntar centenas de pessoas num novo espaço para a realização do mesmo, apostando a organização no enquadramento paisagístico que o local oferece como forma de melhor promover a imagem turística da freguesia e do concelho.

Como já tem sido habitual, na véspera, noite de sexta-feira, pelas 21.00 horas, os grupos participantes vão desfilar na rua Direita da Ribeira Grande e dançar no largo Hintze Ribeiro, animação inserida no programa deste ano das Noites de Verão.

 

 

Açores 24Horas / NI

talholagoa1

Download PDF




O processo da eventual classificação de interesse público do Muro das Nove Janelas, na freguesia de Santo António, concelho de Ponta Delgada, entrou hoje na fase de audiência escrita por parte dos interessados.

O prazo desta fase de audiência escrita é de 15 dias, de acordo com o anúncio publicado em Jornal Oficial, assinado pelo Secretário Regional da Educação e Cultura, Avelino Meneses, e com os editais afixados na Câmara Municipal de Ponta Delgada e na Junta de Freguesia de Santo António.

Nesta fase, os interessados são convidados a participar, levantando ou acautelando questões com interesse para a tomada de decisão antes desta ser tomada, nas matérias de facto e de direito.

O Muro das Nove Janelas, assim conhecido em virtude dos seus nove arcos, cinco superiores e quatro inferiores, é considerado o maior e mais emblemático troço dos aquedutos da ilha de São Miguel.

Apesar do nome, existe ainda mais um arco, na base, que serve de passagem à água do vale.

Estes arcos, além da sua função de elevação, permitem a circulação do vento sem nenhum impedimento, condição essencial por se situarem em zonas de grande altitude e ventosas.

O traçado do Muro das Nove Janelas apresenta-se sobre a forma de 21 arcos de volta perfeita e contrafortes nos dois lados, um modo eficaz de garantir maior sustentabilidade à estrutura e, na parte superior, uma calha ou conduta de pedra, por onde a água circula, com uma extensão aproximada de 250 metros.

Este aqueduto, desativado por volta de 1888, foi mandado construir pela Câmara Municipal de Ponta Delgada e destinava-se ao transporte das águas provenientes da Lagoa do Canário e das Lagoas Empadadas para a cidade de Ponta Delgada, numa extensão de mais de uma dezena de quilómetros.

Download PDF



7 de Agosto de 2017


pesca peixeA alteração ao Decreto Legislativo Regional que estabelece o Sistema de Fiscalização e Controlo do Abastecimento de Gasóleo à Agricultura e à Pesca nos Açores, segundo a qual as viaturas de apoio à pesca passam a beneficiar de gasóleo colorido, foi hoje publicada em Diário da República.

O gasóleo colorido é alargado, desta forma, a veículos ligeiros de mercadorias ou mistos destinados ao apoio da atividade da pesca, nomeadamente ao transporte de tripulações e equipamentos de pesca entre portos, lotas, postos de recolha e casas de aprestos.

Esta alteração, aprovada na Assembleia Legislativa por proposta do Governo dos Açores, através da Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, entra em vigor terça-feira, 8 de agosto.

Podem beneficiar do Sistema de Abastecimento de Gasóleo à Pesca os proprietários ou armadores de embarcações licenciadas para o exercício da pesca marítima, mediante a apresentação de candidatura e que sejam proprietários de veículos ligeiros de mercadoria ou mistos com cilindrada inferior ou igual a 3.000 cc e peso bruto igual ou inferior a 3.500 quilos, utilizados como apoio à atividade da pesca.

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, Gui Menezes, salientou que o alargamento do gasóleo colorido ou marcado aos veículos ligados à atividade da pesca vai “contribuir para a diminuição de custos operacionais” dos armadores.

O gasóleo rodoviário com que os armadores abastecem as suas viaturas de apoio à pesca tem um custo de 1,18 euros por litro, enquanto o gasóleo colorido custa 48 cêntimos por litro, o que representa uma poupança de 70 cêntimos por litro.

 

 

Açores 24Horas / Gacs

talholagoa1

Download PDF




artesanatoCom o objetivo de divulgar e potenciar a comercialização do Artesanato dos Açores, sobretudo dos produtos artesanais certificados, a Vice-Presidência do Governo promove a realização de três mostras (M. ART) e a participação de 56 empresas artesanais durante a Semana do Mar, no Faial, as Festas da Praia, na Terceira, e a Semana dos Baleeiros, no Pico.

A M. ART – Semana do Mar, integrada na Expomar, que decorre até 13 de agosto, conta com a participação de 15 unidades produtivas artesanais das ilhas do Faial, Pico, S. Miguel e Santa Maria.

Nesta mostra, os visitantes podem, entre as 19h00 e as 00h00, ver e adquirir trabalhos em couro, materiais sintéticos, bordados, rendas, cartonagem, artigos têxteis para o lar, bijuteria, registos, escultura em pedra e em madeira, osso e escamas de peixe, entre outros materiais.

Por seu lado, a M.ART – Praia da Vitória, que também decorre até 13 de agosto, pretende aproveitar uma época de maior fluxo turístico à ilha Terceira para dar visibilidade aos trabalhos de 23 unidades produtivas artesanais, das quais 21 da Terceira e duas de S. Miguel.

A mostra que está instalada na tenda na Marina da Praia da Vitória, num espaço contiguo à Feira de Gastronomia do Atlântico, pode ser visitada das 19h00 às 00h00.

No certame vão estar em exposição trabalhos em latoaria, bijuteria, materiais sintéticos, bordados, rendas, artigos têxteis para o lar, tecelagem, acessórios de vestuário, artigos em pele, miniaturas de madeira, patchwork, embutidos, bonecos de pano, escamas de peixe e cerâmica.

A M. ART – Semana dos Baleeiros, que decorre de 21 a 27 de agosto nas Lajes do Pico, vai contar com a participação de 18 artesãos do Pico e de S. Miguel, podendo ser visitada entre as 19h00 e as 00h00 até ao dia 25, das 16h00 às 00h00 no dia 26 e das 20h00 às 00h00 no dia 27 de agosto.

Além destas e de outras mostras regionais inseridas em eventos em diversas ilhas, a Vice-Presidência realiza ao longo do ano múltiplas ações promocionais e formativas através do Centro Regional de Apoio ao Artesanato (CRAA), que conta com cerca de 600 artesãos inscritos, quando em 2012 estavam inscritas 359 unidades artesanais.

Este aumento do número de empresas revela o dinamismo crescente da atividade, aproveitando novas oportunidades de negócio potenciadas pelo aumento do fluxo turístico.

Nesse sentido, a certificação e a indicação de origem é crucial para a estratégia regional de preservação e apoio ao artesanato tradicional, assumindo-se como garantia da qualidade e autenticidade da produção.

Atualmente, a marca Artesanato dos Açores abrange 21 áreas artesanais certificadas e cerca de uma centena de unidades produtivas artesanais com o selo de certificação.

 

 

Açores 24Horas / Gacs

talholagoa1

Download PDF



4 de Agosto de 2017


sismosO Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA) informa que, segundo o Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA), tem vindo a ser registada, desde a madrugada do dia 4 de agosto, atividade sísmica numa região epicentral localizada na parte central da ilha Terceira, no vulcão do Pico Alto.

Até ao momento foram registados alguns eventos, todos de baixa magnitude, não havendo informação de nenhum evento ter sido sentido pela população.

O CIVISA continuará a acompanhar o evoluir da situação, emitindo novos comunicados caso necessário.

 

 

Açores 24Horas / NI

talholagoa1

Download PDF




bruno belo PSDO deputado do PSD/Açores eleito pelas Flores manifestou-se apreensivo com o serviço prestado pela SATA naquela ilha. Bruno Belo considera mesmo que a operação da companhia aérea açoriana está a dificultar a afirmação das Flores como destino turístico.

“A SATA está a prestar um mau serviço e, lamentavelmente, já existem turistas a sair das Flores deixando a garantia de que não voltarão porque perderam os voos de ligação aos seus países de origem devido aos cancelamentos da SATA resultantes dos problemas operacionais associados a uma má gestão da companhia”, afirma Bruno Belo.

O social-democrata falava após uma reunião com empresários florentinos e referiu que, recentemente, um grupo de turistas austríacos, que deveria ter seguido para Lisboa na quinta-feira para, no mesmo dia, apanhar na capital portuguesa o voo de regresso à Áustria, só conseguiu sair das Flores no sábado às 19h e regressar à Áustria no domingo.

“Situações como essa são inadmissíveis e põe em causa valores essenciais para qualquer companhia área, como a previsibilidade. Além disso, a SATA, está a transformar a experiência desses passageiros nas Flores num pesadelo uma vez que, contrariamente ao previam, só regressam a casa três dias ao que tinham previsto”, explica o deputado.

Bruno Belo nota ainda que a operação da transportadora aérea açoriana, da qual o Região Autónoma dos Açores é acionista maioritário, está também a por em causa a saúde dos habitantes da ilha, sobretudo aqueles que têm de sair para fazer tratamento oncológico, mas que acabam por perder consultas porque não conseguem sair das Flores.

“Esta situação só não é mais grave porque os funcionários da SATA tudo fazem para minimizar o impacto de toda essa má gestão”, afirma.

O deputado do PSD/Açores estranha que, perante o caos na operação da SATA, que está a por em causa o investimento na promoção turística da ilha, bem como o investimento privado, e o direito a tratamentos de saúde por parte dos florentinos, o Governo regional se limite a reconhecer que a operação “não está a correr às mil maravilhas”.

“Vasco Cordeiro é um líder fraco e só um líder fraco ignora, por conveniência e por incapacidade de reconhecer os erros da sua governação, o que se está a passar em termos de transportes aéreos nas Flores e em outras ilhas da Região”, resume Bruno Belo.

 

 

Açores 24Horas / NI

talholagoa1

Download PDF



Diretor / Editor – Sissa Madruga
Sede Redação e edição – Rua do Cemiterio, nº16, Livramento-9500 615 Ponta Delgada
Email - acores24@gmail.com
Telm - +(351) 913290915

Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) - Registo nº 126316
Estatuto EditorialAçores 24Horas © 2013
Propriedade Fabio Celio Ribeiro - NIF 214139336