Pub

Açores 24Horas – Jornal Diário

23 de Maio de 2017


espirito-santo-rosquilhasO Presidente do Governo dos Açores concedeu tolerância de ponto aos trabalhadores da Administração Pública Regional cujos serviços estejam sediados nas ilhas de São Jorge, Pico e Faial no dia 6 de junho, terça-feira do Espírito Santo.

O despacho de Vasco Cordeiro hoje publicado em Jornal Oficial refere que a “celebração do Espírito Santo se reveste de profundo significado para o Povo Açoriano, sendo o seu culto celebrado em toda a Região”.

Segundo o mesmo despacho, “tradicionalmente, as festividades que lhe são dedicadas nas ilhas do Faial, Pico e São Jorge prolongam-se para além da segunda-feira do Espírito Santo, que este ano ocorre no dia 5 de junho, Dia da Região Autónoma dos Açores”.

 

 

 

 

açores 24Horas / Gacs / Foto : Direitos reservados

 

Download PDF




cartaz UECNA Universidade Europeia, o IPAM e o IADE – Universidade Europeia, três instituições da Laureate International Universities, a maior rede de ensino superior do mundo, em parceria com um conjunto de empresas líderes de mercado, lançam pelo terceiro ano consecutivo aos estudantes de todas as licenciaturas o repto de desenvolver projetos para empresas parceiras em apenas 24h. A iniciativa terá lugar no dia e noite de 26 de maio, em Lisboa e em S. Miguel, nos Açores, proporcionando momentos de convívio e networking com alguns dos melhores profissionais do mercado.

 

Google, RFM, TVI, Sogenave, Drive U, SATA e Turismo dos Açores constituem o leque de empresas participantes e que vai lançar desafios reais às centenas de estudantes inscritos, divididos em equipas multidisciplinares.

A maratona criativa tem início às 9h, no Campus de Carnide da Universidade Europeia e a primeira eliminatória acontece com os primeiros Pitchs previstos para as 16h. Posteriormente, cerca de duas horas mais tarde, os alunos autores dos projetos finalistas vão embarcar numa aventura, a bordo de um avião da AZORES Airlines (SATA) , com destino aos Açores, onde vai decorrer a fase final da competição.

Já em São Miguel, os alunos fazem a sua imersão criativa na Nonagon – Parque de Ciência e Tecnologia de São Miguel, para responder aos desafios específicos do Turismo dos Açores e da SATA, apresentados durante o voo. Os pitchs às duas entidades são aguardados na manhã do dia 27 de maio, a que se segue a revelação dos vencedores, um almoço nas Furnas e o regresso a Lisboa.

A Creative Night, para além de proporcionar uma experiência de competição invulgar e que implica um esforço acrescido de trabalho pela noite dentro, permite evidenciar as soft skills de alunos de diferentes áreas e, simultaneamente, simular todas as etapas do processo criativo num curto espaço de tempo.

 

Para Teresa Cascais, responsável da Creative Night “o principal objetivo desta iniciativa é aproximar a academia do mercado de trabalho e proporcionar a oportunidade aos estudantes para a resolução de questões reais que desafiam o seu potencial de inovação e empreendedorismo”.

Durante toda a iniciativa, os alunos contam com o apoio de docentes das três instituições do Grupo Laureate International Universities – Universidade Europeia, IPAM e IADE-Universidade Europeia, bem como de representantes das diferentes empresas participantes, experienciando momentos únicos de convívio e networking com alguns dos melhores profissionais do mercado.

 

 

 

 

 

 

Açores 24Horas / NI

talholagoa1

Download PDF




chuva mau tempoO Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA) informa que, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a aproximação e passagem de uma superfície frontal fria com atividade moderada a forte deverá provocar um agravamento do estado do tempo no arquipélago, prevendo-se precipitação forte para as ilhas do Grupo Central, tendo colocadas estas cinco ilhas sob aviso amarelo entre as 09h00 e as 18h00 desta terça-feira, 23 de maio.

O Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores recomenda que sejam tomadas as habituais medidas de autoprotecção, relembrando que em locais não pavimentados, as águas podem causar erosão dos solos, levando à queda de muros, taludes, postes, entre outros.

 

 

 

Açores 24Horas

Download PDF



22 de Maio de 2017


iate resgatadoO Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo de Ponta Delgada (MRCC Delgada), em articulação com a Força Aérea Portuguesa, coordenou, uma operação de resgate de três tripulantes de nacionalidade britânica, com idades compreendidas entre os 41 e os 61 anos, do veleiro “Destiny of Scarborough” com bandeira do Reino Unido, a navegar a cerca 356 milhas (662Km) a nordeste da Ilha Terceira, Açores, devido aos danos causados pela colisão com uma baleia.

Para proceder à evacuação foram acionadas uma aeronave C-295 da Base das Lajes e um P3-C da Base de Beja, para localizar e acompanhar as operações de salvamento, tendo o resgate sido efetuado cerca das 15:13 horas locais pelo navio mercante M/V “Justice”, de bandeira da Libéria, que de seguida rumou para o porto de Avilês no norte de Espanha, com os três tripulantes de boa saúde.

Na operação esteve envolvido o MRCC Delgada, o RCC Lajes, um avião C-295, um avião P3-C da Força Aérea Portuguesa, o navio mercante M/V “Justice” e ainda a Corveta “Jacinto Cândido”.

 

 

Açores 24Horas / MRCC

 

Download PDF




vinha-picoO Laboratório Regional da Enologia promove a 26 de maio, na ilha do Pico, a realização de uma sessão de sensibilização para as boas práticas enológicas, numa iniciativa que visa também aproximar os vitivinicultores da equipa técnica da administração regional.

A Secretaria Regional da Agricultura e Florestas, através da Direção Regional da Agricultura e por intermédio do Laboratório Regional de Enologia, realiza anualmente um programa de ações com o objetivo de transmitir conhecimentos aos vitivinicultores.

Este ano, o evento decorre pelas 21h00, nas instalações do Laboratório Regional de Enologia, na Estrada Regional, no concelho da Madalena, com entrada livre.

A ação pretende sensibilizar os vitivinicultores para o uso correto de produtos enológicos durante todo o processo de vinificação e conservação do vinho, versando sobre a problemática da produção de um vinho de qualidade associada à aplicação de diversos produtos enológicos facilitadores do processo de fermentativo, que contribuem para melhorar a estabilização e conservação dos vinhos.

A iniciativa está integrada no programa Madalena – Cidade do Vinho 2017.

 

 

Açores 24Horas /Gacs

Download PDF




O Vice-Presidente do Governo salientou a importância do espírito de cooperação entre entidades e o percurso de afirmação percorrido e conquistado pelas Juntas de Freguesia que, com a evolução da Autonomia, “deixaram de ser espaços de emissão de licenças e de serviços administrativos para serem, efetivamente, um parceiro ativo no desenvolvimento das suas comunidades”.

“Hoje, sentimos que todas as comunidades contam com as Juntas de Freguesia como parceiros na atividade social, na atividade cultural, na atividade desportiva, na atividade económica”, afirmou Sérgio Ávila, que falava na inauguração da requalificação da sede da Junta de Freguesia de São Pedro, em Angra do Heroísmo.

Para o governante, esse percurso “só foi possível” devido à “cooperação” entre entidades, defendendo que “é preciso continuar esse espírito de cooperação para que os desafios do desenvolvimento que agora se colocam, os novos, possam ter mais eficácia” na Região.

A obra de requalificação da Baía do Fanal, que valoriza Angra do Heroísmo e a relação da cidade com o mar, num investimento superior a três milhões de euros, foi apontada por Sérgio Ávila como um exemplo dos resultados que podem ser alcançados através da colaboração entre o Governo Regional, Município, a Junta de Freguesia e outras entidades.

“Vivemos um momento de maior confiança, de maior esperança”, destacou Sérgio Ávila referindo o facto de, em apenas três anos, os Açores terem conseguido ter mais “12.200 pessoas empregadas e metade da taxa de desemprego”, assim como a população mais elevada a trabalhar em oito anos.

O Vice-Presidente frisou que os resultados que permitem o atual “clima de confiança, de maior esperança”, também foram possíveis devido a esse espírito de cooperação.

“Conseguimos colaborar, conseguimos criar projetos em conjunto e desenvolver”, afirmou Sérgio Ávila.

 

 

 

Açores 24Horas / Gacs

Download PDF



21 de Maio de 2017


lusa marceloO Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, referiu-se hoje aos Açores como “grande terra com grande gente” em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, naquela que é a sua primeira deslocação aos Açores enquanto chefe de Estado.

 

Após plantar uma árvore no Jardim Botânico José do Canto, o que já tinham feito os antigos chefes de Estado Mário Soares e Jorge Sampaio, Marcelo Rebelo de Sousa realçou o simbolismo deste ato, o primeiro, “acabado de chegar a esta grande terra com grande gente, antes mesmo desse outro momento espiritual que projeta essa terra e essa gente em todo o mundo”.

O Presidente da República referia-se às festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres, em cuja procissão participa esta tarde.

“Quer isso dizer que são os valores a realidade mais determinante na vida das sociedades e que esses valores se exprimem tão depressa na fé, como na preservação do património cultual, no sentido mais amplo do termo, porque a História se faz de cultura, as comunidades se fazem de cultura”, declarou.

Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que “para Portugal nada [é] de mais prestigiante do que ver os Açores afirmar-se em termos culturais em toda a sua pujança, internamente e externamente”.

“Este pequeno gesto, selado num dia maravilhoso em que nem o sol deixou de nos acompanhar, significa o reatar de uma tradição presencial e louvar, homenagear, uma linhagem familiar que é mais do que familiar, é comunitária, ao serviço dos Açores e, por isso, também, ao serviço de Portugal”, acrescentou.

 

 

 

Lusa / Foto Lusa ( Direitos Reservados)

Download PDF




santo-cristo-milagresA imagem do Santo Cristo volta hoje a percorrer as ruas de Ponta Delgada, nos Açores, numa procissão que este ano conta com a participação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Esta procissão, com a imagem do ‘Ecce Homo’, começa às 15:30 locais (mais uma hora em Lisboa) no Santuário da Esperança, no Campo de São Francisco, e, uma hora depois, sai a imagem do Santo Cristo.

Marcelo Rebelo de Sousa, que se desloca pela primeira vez aos Açores enquanto chefe de Estado, vai integrar a dianteira do cortejo cívico, juntamente com o Representante da República para a Região Autónoma dos Açores, Pedro Catarino, a presidente da Assembleia Legislativa, Ana Luís, e o chefe do Governo Regional, Vasco Cordeiro.

Antes, o chefe de Estado desloca-se, pelas 14:30 ao Jardim Botânico José do Canto, também em Ponta Delgada, onde vai plantar uma árvore.

A primeira procissão do Senhor Santo Cristo dos Milagres remonta a 1700, ano em que a ilha de São Miguel foi abalada por “fortes e repetidos tremores de terra”.

“Duravam estes há já vários dias quando a Mesa da Misericórdia e grande parte da nobreza da cidade, verificando que os terramotos não cessavam, resolveram ir à portaria do Mosteiro da Esperança para levarem, em procissão, a imagem do Senhor Santo Cristo dos Milagres”, refere um guia da Irmandade do Senhor Santo Cristo dos Milagres.

A procissão, na qual participam milhares de pessoas, e que ocorre sempre no quinto domingo depois da Páscoa, respeita, ainda hoje, o itinerário inicial.

O cortejo com a imagem do Santo Cristo, que este ano levará uma capa em veludo vermelho oferecida por um jovem seminarista, passará pelos antigos conventos da cidade e algumas igrejas paroquiais, incorporando-se ainda dezenas de bandas de música e representantes das principais instituições civis, religiosas e militares do arquipélago, num percurso de vários quilómetros ornamentado por tapetes de flores.

As festas são presididas por Edgar da Cunha, bispo de Fall River, Estados Unidos da América, onde reside uma grande comunidade de açorianos.

Os festejos, que decorrem até quinta-feira, atraem pessoas de todas as ilhas açorianas, de vários pontos do país e das comunidades de emigrantes.

 

 

 

 

Lusa

Download PDF




ztaA escritora madeirense Zita Cardoso encontra-se nos Açores a divulgar a 2ª edição do livro “Símbolos da Autonomia dos Açores”, tendo apresentado a obra no Coliseu Micaelense, esta sexta-feira, inserida na Festa do Emigrante, no âmbito do programa das festividades do Senhor Santo Cristo dos Milagres, festa maior da igreja católica nos Açores, que se realiza este ano de 19 a 25 de maio em Ponta Delgada, ilha de São Miguel.

“Pioneiro por altura do 25º aniversário das Autonomias, quer na Madeira quer nos Açores, é um livro de cidadania democrática, formativo e informativo do conceito da autonomia para as nossas Regiões Autónomas”, diz Zita Cardoso, autora também da obra “Símbolos da Autonomia da Madeira” e do recentemente lançado “Símbolos da Independência de Cabo Verde”, uma “triologia” que “exalta o reforço da cooperação das Região ultraperiféricas”, ressalvando a importância da Macaronésia Atlântica”, cooperação que a escritora descreve como fundamental,dado que  “permite manter a identidade de uma Região,  ao mesmo tempo que potencia o desenvolvimento coletivo de 4 Arquipélagos unidos pela insularidade atlântica”.

Lançado em 2013, e com uma primeira edição esgotada, “a sua reedição impunha-se, tal como a evolução transversal a estas nove ilhas açorianas, marcadas desde há quatro décadas pelas mãos de uma autonomia que lhes permitiu um desenvolvimento económico e social alicerçado na vontade e necessidade das suas gentes”, aclara a escritora, que pretende assim “reavivar a mensagem cívico-democrática da realidade açoriana para um universo ilimitado da sua da sua Diáspora e de todos aqueles que se interessem pela sua génese, sendo importante repassar este testemunho e o percurso de desenvolvimento que felizmente hoje vivemos”.

Questionada sobre o que leva uma madeirense a escrever sobre a Autonomia dos Açores, Zita é peremptória: “ A escrita cultural não tem fronteiras, extravasa os limítrofes das Regiões e torna-se universal”, afirma.

autonomia livro zitaA segunda edição de  “Símbolos da Autonomia dos Açores” será apresentada também na ilha terceira, no próximo mês de junho.

Maria Zita Saldanha Vieira Cardoso, licenciada em História pela Universidade Clássica de Lisboa e Mestre em Gestão  de Turismo e Educação pela universidade de Bourrnemouth (UK), foi fundadora e presidente da Associação de Escritores da  Madeira.

Professora, escritora e colonista, autora de 18 livros nas áreas mais variadas, desempenhou vários cargos na vida social, cultural e económica da Madeira.

Em 1983 foi louvada pela então Secretária da Educação pela co-autoria do livro didáctico-pedagógico “madeira, a nossa Terra” , tendo em 1988 recebido pelo seu contributo á cultura a Medalha de Mérito, pelo Governo Regional da Madeira.

 

 

SM / Açores 24Horas

Download PDF



20 de Maio de 2017


vasco1O Presidente do Governo afirmou hoje, em Ponta Delgada, que os Açores vivem atualmente “um período de esperança e de confiança renovada”, em resultado de um “esforço conjunto” com as empresas e os trabalhadores açorianos, mas frisou que o mais importante para se atingir o objetivo do desenvolvimento “é o inconformismo de querermos fazer mais e melhor”.

“Queremos e podemos todos fazer mais, conseguir mais, cumprindo a ambição de um desenvolvimento cada vez mais harmonioso, coeso, sustentado e sustentável para os Açores”, afirmou Vasco Cordeiro, na inauguração da Feira Lar, Campo e Mar, promovida pela Câmara de Comércio e Indústria de Ponta Delgada.

Vasco Cordeiro assegurou que o Governo dos Açores “está e continuará a estar empenhado na criação de um ambiente estimulante à eficiência empresarial, disponibilizando um vasto conjunto de instrumentos que contribuam para fomentar a competitividade das empresas, por forma a impulsionar o desenvolvimento sustentável a médio e longo prazo”.

Na sua intervenção, o Presidente do Governo recordou os desafios enfrentados nos últimos anos, frisando que “as empresas dos Açores souberam aproveitar com eficácia e eficiência os apoios e incentivos públicos, o clima fiscal mais favorável e, com confiança, empreenderam, investiram e inovaram”.

“Vivemos hoje um período de nova esperança e de confiança renovada na Região e no país”, afirmou, salientando que os Açores, fruto de um esforço conjunto, conseguiram “resultados ainda melhores do que os obtidos no conjunto do país”.

Um crescimento económico de dois por cento em 2016, o aumento do emprego e a redução do desemprego foram alguns dos exemplos apontados pelo Presidente do Governo, recordando que os bons resultados alcançados até agora só foram possíveis devido à estabilidade orçamental e das contas públicas da Região.

“Cumprindo a Agenda Açoriana para o Emprego e Competitividade Empresarial, de cuja eficácia alguns duvidaram no início, conseguimos atingir os objetivos estabelecidos e podemos agora, ainda com mais confiança, consolidar a retoma da atividade económica que vivemos”, frisou, destacando o aumento do consumo privado, a retoma do setor da construção civil, a consolidação do crescimento do turismo e os indicadores positivos que se registam no setor privado.

Este clima de confiança traduz-se, segundo Vasco Cordeiro, não apenas nos 558 novos projetos de investimento privado apresentados nos últimos 12 meses, mas também no crescimento do volume de negócios reconhecido pelos empresários.

“A confiança começa a ser cada vez mais sentida também pelas empresas e investidores externos à Região, que têm, nos últimos meses, demonstrado um conjunto vasto de intenções de investimento empresarial num conjunto diversificado de áreas”, frisou o Presidente do Governo.

“Estes resultados são positivos, mas também é positiva a ambição de querermos ter sempre as melhores respostas, as melhores soluções e os melhores resultados para os desafios que o presente e o futuro nos reservam”, afirmou Vasco Cordeiro, adiantando que é agora necessário “apostar cada vez mais na inovação e diversificação e saber vender melhor”.

 

 

 

Açores 24Horas / Gacs

talholagoa1

Download PDF



19 de Maio de 2017


crime-condenado-preso-justica-cadeia-prisaoA Esquadra de Investigação Criminal (EIC) da Divisão Policial da PSP de Ponta Delgada no âmbito de uma investigação em curso, procedeu esta semana à detenção de dois homens, suspeitos da prática de um crime de tráfico de estupefacientes.

No decurso das diligências efetuadas, que compreenderam várias buscas domiciliárias e não domiciliárias, foi possível apreender, entre outros objetos com interesse probatório, cerca de 3500 doses de haxixe e desmantelar parte de uma rede de traficantes que a PSP acredita ser responsável pela introdução e venda de grandes quantidades de droga na ilha de São Miguel.

A um dos arguidos, de 29 anos de idade, quando, presente a primeiro interrogatório judicial ficou sujeito à medida de coação de prisão preventiva, enquanto o segundo arguido, de 50 anos de idade, aguardará a tramitação do respetivo processo, sujeito a termo de identidade e residência.

A investigação continuará a cargo da EIC da PSP de Ponta Delgada.

 

 

Açores 24Horas / NI

talholagoa1

Download PDF




bandeira-acoresA importância da posição geoestratégica dos Açores é reforçada com a Primeira Guerra Mundial, que levou à criação da primeira base aeronaval norte-americana fora dos Estados Unidos, em Ponta Delgada, segundo o historiador Sérgio Rezendes.

“Os Açores acabam por ganhar protagonismo e importância, em virtude da transferência geoestratégica no Atlântico Norte dos ingleses para os americanos”, salientou, em declarações à Lusa, o historiador que lança este sábado, em Angra do Heroísmo, o livro “A Grande Guerra nos Açores: Património e Memória Militar”.

Segundo o investigador da Universidade dos Açores e do Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa, desde o início da Primeira Guerra Mundial que os comandantes militares dos Açores perceberam que a estratégia alemã passava pelo reabastecimento pelo mar, no Atlântico Norte, mas apesar dos sucessivos apelos o ainda jovem Governo da Primeira República não reforçou os meios para o arquipélago.

“Mesmo com o cabo submarino, as respostas são lentas, tardias ou não existem e quando existem são por intensa pressão. O material que nos vem em 1916 estava a ser pedido desde 1914 e quando chega é material de transição, antigo e obsoleto. Chegou a ser ridicularizado pelos órgãos de comunicação social, porque as granadas ficavam a meio do caminho”, revelou.

Segundo Sérgio Rezendes, por um lado, o país enfrentava “problemas gravíssimos”, com instabilidade política, social e económica, e, por outro, os Açores não eram uma prioridade.

“Até à chegada dos americanos, o verdadeiro arquipélago que importava a Portugal não era os Açores, nem mesmo a Madeira, era Cabo Verde. Cabo Verde é que era a menina dos olhos do governo central, porque era Cabo Verde que estava no centro do regresso das embarcações mercantes que vinham das colónias ultramarinas, nomeadamente Angola e Moçambique”, explicou.

Os Açores tinham material obsoleto e com a entrada de Portugal na guerra passam a ter três ilhas em situação vulnerável: São Miguel e Faial, pelos seus portos atlânticos, e a Terceira, onde foi criado um depósito de prisioneiros alemães.

Os receios dos militares do arquipélago confirmaram-se a 04 de julho de 1917, com um ataque de um submarino alemão a Ponta Delgada, que “apenas foi salva devido à intervenção de um navio americano que estava no porto”.

Segundo o historiador micaelense, este ataque “vai não só expor a vulnerabilidade da defesa das ilhas, como a flagrante incapacidade de controlar e policiar o mar dos Açores”.

Entre 1914 e 1915, o patrulhamento do mar dos Açores foi assegurado pela marinha inglesa, que acabou por desviar meios para a costa britânica, com o levantar do confronto no mar do Norte.

“Sem o conhecimento do Estado português”, os ingleses cedem essa missão de patrulhamento aos Estados Unidos e cerca de uma semana e meia depois do bombardeamento instalam-se no porto de Ponta Delgada navios norte-americanos, causando “algum desconforto” nas autoridades portuguesas civis e militares.

Em novembro de 1917, é feito o pedido oficial e é criada a primeira base aéreo-naval dos Marines fora dos Estados Unidos, em Ponta Delgada.

Apesar da ajuda dos norte-americanos e do então criado Alto-Comissariado da República para os Açores, a população das ilhas enfrentou muitas dificuldades até ao final da guerra.

A presença de submarinos no mar dos Açores afastou as embarcações privadas que transportavam bens alimentares e a falta de concorrência fez aumentar os preços.

Para além da fome, os Açores foram afetados por um surto de gripe espanhola, que matou menos de 3.000 pessoas no espaço de um mês.

O livro apresentado este sábado resulta de cerca de 18 anos de pesquisa de Sérgio Rezendes e de uma tese de mestrado defendida em 2008.

A primeira versão, editada em 2014, foi selecionada pelo Centro República como parte integrante de uma coleção de teses sobre a Primeira República.

Lusa

talholagoa1

Download PDF




festividadeA Exposição de Fotografia “FésTividades” invadiu o Centro Municipal de Cultura, esta quinta-feira, com “registos que retratam mais do que coisas, retratam expressões, sentimentos, dor, fé e esperança”, afirmou o Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, José Manuel Bolieiro, na inauguração desta iniciativa da Associação de Fotógrafos Amadores dos Açores (AFAA) apoiada pela Autarquia.

“Passados 10 anos, podemos dizer que construiu-se uma nova forma de viver as Festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres e formou-se mais uma tradição ligada a estas grandes festas. Parabéns a todos pela criatividade e talento” realçou o Presidente do Município.

Jorge Kol de Carvalho, Presidente da AFAA, enaltece este evento de Fotografia, “momento cultural ímpar, que nasceu com a constituição da Associação de Fotógrafos Amadores dos Açores em 2007 e desde então com o apoio da Câmara Municipal de Ponta Delgada, é presença constante, que a cada ano se reforça nas maiores festas religiosas dos Açores, O Senhor Santo Cristo dos Milagres”.

“A cada ano o número de fotógrafos da Associação de Fotógrafos Amadores dos Açores aderente ao Concurso “Festividades” é maior, e manifesto o seu aprofundamento no olhar e registo dos momentos das Festas. Esse olhar, tão diferente do vulgar ver, capta e perpétua o sentimento, naquele instante”, realça Kol de Carvalho, afirmando que a exposição de fotografia do “Festividades” celebra a cada ano esse olhar e homenageia publicamente os autores seleccionados, revelando-nos sensibilidades.

Reconhecendo o significado do percurso que a Associação de Fotógrafos Amadores dos Açores construiu, quis a Criativa associar-se à efeméride com a edição de um livro, registo destes dez anos de “Festividades” que será lançado hoje, pelas 20h30, “no Coliseu Micaelense”.

 

 

Açores 24Horas / Foto : Direitos Reservados

Download PDF




pescadores barcoO Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia anunciou hoje, na Horta, novos apoios a investimentos a bordo das embarcações de pesca, que incidem sobre “a melhoria da segurança e higiene, as condições de trabalho dos pescadores e também a eficiência energética”.

Gui Menezes, que falava à margem de uma visita à Lota, salientou que estes apoios “contribuem indiretamente para o rendimento dos pescadores”, apontando como exemplo a “substituição de motores [já instalados] por motores mais eficientes e menos gastadores”.

O Secretário Regional frisou ainda a importância destes apoios para a valorização do pescado, nomeadamente através de investimentos que permitam criar “melhores condições em termos de frio e de tratamento de pescado, o que influencia, naturalmente, os rendimentos que os pescadores podem ter”.

Este novo regime de apoio aos investimentos a bordo de embarcações de pesca, previstos numa portaria publicada hoje em Jornal Oficial, é cofinanciado pelo Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas (FEAMP) no âmbito do Programa Operacional MAR 2020.

Para além da melhoria da higiene, saúde, segurança e condições de trabalho dos pescadores, assim como do valor acrescentado e da qualidade do pescado, estes apoios destinam-se ainda a investimentos que permitam a redução do impacto da pesca no meio marinho e a adaptação da pesca à proteção das espécies.

De acordo com a tipologia de operações a realizar, podem beneficiar destes apoios proprietários de navios de pesca registados em portos dos Açores, bem como pescadores e organizações do setor devidamente reconhecidas.

Os projetos selecionados para financiamento podem beneficiar de uma taxa de apoio de 65% das despesas elegíveis, que é aumentada para 85%, no caso das operações respeitarem a embarcações de comprimento fora a fora inferior a 12 metros, ou para 100%, no caso das operações serem executadas por organizações de pescadores, serem de interesse coletivo e possuírem caraterísticas inovadoras a nível local.

De acordo com as regras comunitárias, não são elegíveis operações que aumentem a capacidade de pesca de uma embarcação ou a sua capacidade para detetar pescado.

As candidaturas a estes apoios são apresentadas em contínuo até 31 de dezembro de 2018.

Download PDF




leonardo relogioA Câmara Municipal da Horta inicia esta sexta-feira, a empreitada de requalificação do espaço verde envolvente à Torre do Relógio, que incluirá a construção de um moderno polidesportivo ao ar livre, no centro da cidade, bem como dará lugar à requalificação daquele ex-libris, no sentido de garantir melhores condições de visitação àquele monumento.
Na visita realizada esta quinta-feira ao Parque de Infantil construído naquele local, em parceria com a Junta de Freguesia da Matriz, no contexto da empreitada global de requalificação dos parques infantis do concelho, José Leonardo Silva, Presidente da Câmara Municipal, registou a conclusão do compromisso entre as duas autarquias locais – Município e Junta – de valorizar aquele espaço com um equipamento para a área da infância e anunciou que agora se inicia uma intervenção diferente e globalizada, que permitirá abrir o leque de utilizadores daquela zona nobre da cidade.
“Marcamos a parceria concluída hoje e o esforço da própria Junta de Freguesia, numa intervenção que custou cerca de 40 mil euros, e avançamos para um patamar diferente”, para um investimento que deverá rondar os 150 mil euros e terá a duração máxima de 60 dias, no decorrer dos quais será instalado um polidesportivo descoberto de 40x20m, para prática de várias modalidades, como futsal, andebol, basquetebol e outros, que promove “a segurança e a inclusão”, em pavimento dos mais modernos neste momento em Portugal, com vedação do espaço, e a implantação de um percurso acessível, em toda a volta do Largo, para marcha, cor-rida, skates, bicicletas, entre outros.
A torre sineira será, igualmente, objeto de beneficiação interior e exterior no sentido de garantir melhores condições a quem visitar aquele espaço, também em termos informativos.
Para que as obras se processem em segurança, será vedado o acesso ao Largo D.Luís I a partir desta sexta-feira, incluindo ao Parque Infantil ali existente, que, pese embora esteja concluído e registe alguma frequência, ainda não está em condições de ser disponibilizado ao público, justamente para que a restante intervenção que agora se inicia naquela área envolvente possa decorrer com todas as condições de segurança asseguradas.
“Vamos colocar no centro da nossa cidade um espaço para as nossas famílias”, frisou José Leonardo Silva, destacando as várias áreas ali potenciadas dirigidas a diferentes faixas etárias.

A Câmara Municipal da Horta inicia esta sexta-feira, a empreitada de requalificação do espaço verde envolvente à Torre do Relógio, que incluirá a construção de um moderno polidesportivo ao ar livre, no centro da cidade, bem como dará lugar à requalificação daquele ex-libris, no sentido de garantir melhores condições de visitação àquele monumento.
Na visita realizada esta quinta-feira ao Parque de Infantil construído naquele local, em parceria com a Junta de Freguesia da Matriz, no contexto da empreitada global de requalificação dos parques infantis do concelho, José Leonardo Silva, Presidente da Câmara Municipal, registou a conclusão do compromisso entre as duas autarquias locais – Município e Junta – de valorizar aquele espaço com um equipamento para a área da infância e anunciou que agora se inicia uma intervenção diferente e globalizada, que permitirá abrir o leque de utilizadores daquela zona nobre da cidade.
“Marcamos a parceria concluída hoje e o esforço da própria Junta de Freguesia, numa intervenção que custou cerca de 40 mil euros, e avançamos para um patamar diferente”, para um investimento que deverá rondar os 150 mil euros e terá a duração máxima de 60 dias, no decorrer dos quais será instalado um polidesportivo descoberto de 40x20m, para prática de várias modalidades, como futsal, andebol, basquetebol e outros, que promove “a segurança e a inclusão”, em pavimento “dos mais modernos neste momento em Portugal”, com vedação do espaço, e a implantação de um percurso acessível, em toda a volta do Largo, para marcha, cor-rida, skates, bicicletas, entre outros.
A torre sineira será, igualmente, objeto de beneficiação interior e exterior no sentido de garantir melhores condições a quem visitar aquele espaço, também em termos informativos.
Para que as obras se processem em segurança, será vedado o acesso ao Largo D.Luís I a partir desta sexta-feira, incluindo ao Parque Infantil ali existente, que, pese embora esteja concluído e registe alguma frequência, ainda não está em condições de ser disponibilizado ao público, justamente para que a restante intervenção que agora se inicia naquela área envolvente possa decorrer com todas as condições de segurança asseguradas.
“Vamos colocar no centro da nossa cidade um espaço para as nossas famílias”, frisou José Leonardo Silva, destacando as várias áreas ali potenciadas dirigidas a diferentes faixas etárias.

 

 

Açores 24Horas / NI

talholagoa1

Download PDF




Santo CristoO Presidente da República participa no domingo na procissão do Santo Cristo, em Ponta Delgada, Açores, sendo o segundo chefe de Estado, depois de Ramalho Eanes, a integrar aquele que é considerado o momento alto das festas.

 

Esta será a primeira deslocação aos Açores de Marcelo Rebelo de Sousa enquanto Presidente da República.

Antes de integrar a procissão, o chefe de Estado desloca-se, pelas 14:30 (mais uma hora em Lisboa), ao Jardim Botânico José do Canto, também em Ponta Delgada, onde vai plantar uma árvore, revelou a respetiva fundação.

O Jardim Botânico José do Canto é um imóvel de interesse público e está inscrito no “Botanic Gardens Conservation Secretariat”, organismo dependente da UNESCO — Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura.

Criado por José do Canto (1820-1898) em meados do século XIX, o espaço tem cerca de 400 espécies de todo o mundo catalogadas, sendo que cerca de 140 são árvores e muitas delas monumentais.

A procissão do Senhor Santo Cristo dos Milagres começa às 15:30, no Campo de São Francisco, mas a imagem do Senhor Santo Cristo dos Milagres sai uma hora depois da Igreja de Nossa Senhora da Esperança.

O chefe de Estado vai integrar a dianteira do cortejo cívico, juntamente com o Representante da República para a Região Autónoma dos Açores, Pedro Catarino, a presidente da Assembleia Legislativa, Ana Luís, e o chefe do Governo Regional, Vasco Cordeiro.

A primeira procissão do Senhor Santo Cristo dos Milagres remonta a 1700, ano em que a ilha de São Miguel foi abalada por “fortes e repetidos tremores de terra”.

“Duravam estes há já vários dias quando a Mesa da Misericórdia e grande parte da nobreza da cidade, verificando que os terramotos não cessavam, resolveram ir à portaria do Mosteiro da Esperança para levarem, em procissão, a imagem do Senhor Santo Cristo dos Milagres”, refere um guia da Irmandade do Senhor Santo Cristo dos Milagres.

A procissão, na qual participam milhares de pessoas, e que ocorre sempre no quinto domingo depois da Páscoa, respeita, ainda hoje, o itinerário inicial.

“A Madre Teresa da Anunciada, que era, na época, zeladora extremosa da Capela e da Imagem do Senhor Santo Cristo dos Milagres, organizou a primeira procissão, em abril de 1700, pretendendo que o andor passasse por todas as igrejas e conventos então existentes na cidade, como forma de alargar o culto”, refere a mesma fonte, assinalando que este desejo tem sido mantido pela irmandade.

O cortejo tem a participação de 26 bandas de música e nele estão representantes das principais instituições civis, militares e religiosas do arquipélago.

 

 

Lusa

talholagoa1

Download PDF




O Governo dos Açores integra o projeto Interreg “GeoAtlantic – Estímulo de ecossistemas locais para o uso da energia geotérmica das comunidades”, financiado pelo Programa Operacional Transnacional Espaço Atlântico 2014-2020, no âmbito do Eixo 2, que tem como prioridade promover a eficiência dos recursos.

Este projeto, com 36 meses de duração, visa desenvolver metodologias e ferramentas de cooperação para criar as condições necessárias ao incentivo da transição energética no espaço atlântico, potenciando os recursos geotérmicos, através de uma parceria que integra diversos países, nomeadamente Portugal, Espanha, Reino Unido, França e Irlanda.

A Região está envolvida através da EDA Renováveis nas atividades relacionadas com a execução do projeto, no que diz respeito a conhecer iniciativas que impulsionem os ecossistemas locais para a transição energética e que desenvolvam competências através de formação e aconselhamento a diferentes níveis para promoção da transição energética nas comunidades locais.

Outras das atividades a desenvolver pela Região são a transferência de tecnologia e novos negócios no âmbito da energia geotérmica, ao mesmo tempo que se pretende promover iniciativas de demonstração direcionadas para a transição para a energia geotérmica.

O consórcio da Região Autónoma dos Açores para a realização das atividades é composto pelo parceiro EDA Renováveis e por três associados, designadamente a Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo, através da Direção Regional da Energia, e as câmaras municipais da Povoação e da Ribeira Grande.

 

Download PDF



18 de Maio de 2017


SATA mau tempoO Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) vai manter o pré-aviso de greve de junho, uma vez que as negociações de hoje com a administração da SATA foram “inconclusivas”, disse fonte sindical.

 

O dirigente sindical Bruno Fialho declarou à agência Lusa que “não há acordo consolidado”, após ambas as partes terem estado reunidas sete horas em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel.

Sindicato e administração da SATA retomaram as negociações hoje após 11 horas de reunião na passada sexta-feira, estando sobre a mesa, por parte do conselho de administração da SATA, uma proposta de acordo de empresa.

“As coisas estão num bom caminho, a maior parte do percurso está realmente feito. Continuamos a debater o que sempre quisemos do acordo da empresa e dos clausulados, bem como dos problemas que nos trouxeram até aqui”, declarou, na altura, aos jornalistas a presidente do SNPVAC, Luciana Passo.

O presidente do conselho de administração da SATA considerou, por seu turno, a reunião “muito produtiva”, acrescentando que foram dados passos “muito importantes do ponto de vista da empresa e do sindicato”.

“Vamos continuar a trabalhar, a fazer esforços no sentido de chegarmos a um bom entendimento”, declarou Paulo Menezes, que salvaguardou ter um “bom relacionamento” com o SNPVAC.

Tripulantes de cabine da Azores Airlines e da SATA Air Açores paralisaram durante os dias 01 e 02 de maio, tendo a greve deixado em terra mais de 1.300 passageiros, com o sindicato a afirmar que se registou uma adesão de 100%, número diferente do grupo SATA (66,9%).

Desconhece-se quando e se haverá uma nova ronda negocial, mantendo-se assim um pré-aviso de greve para os dias 01 e 02 de junho.

 

 

 

Lusa

talholagoa1

Download PDF




trail runA Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo destacou hoje, na Horta, a importância da realização da prova Azores Trail Run para a afirmação do arquipélago como um destino de turismo de natureza ativo, de acordo com a estratégia do setor na Região.

“Este tipo de iniciativas permite aumentar a notoriedade do nosso destino aliado à natureza, como elemento diferenciador na oferta turística, uma vez que se apresenta como um evento âncora com elevado nível de promoção”, salientou Marta Guerreiro na apresentação da sexta edição desta competição.

A titular da pasta do Turismo frisou que esta é uma prova que “faz do arquipélago um palco privilegiado para a prática desportiva, evidenciando as suas belezas de ordem paisagística a todos os participantes e a quem os acompanha, numa verdadeira experiência de contacto com a natureza”.

A prova, com cerca de 700 participantes, de 23 países, assume-se, segundo Marta Guerreiro, “como um evento de grande importância para a dinamização da economia local”.

“Sabemos que a hotelaria e os voos para o momento da prova estão praticamente esgotados, o que, para nós, é visto e sentido com o fervilhar das emoções de quem está prestes a chegar ao terreno para participar nesta corrida de trilhos, que tem início marcado a 26 deste mês”, afirmou.

Marta Guerreiro salientou ainda que a época do ano em que estas iniciativas decorrem “constitui um importante trunfo para o combate ao desafio que a sazonalidade impõe”, proporcionando a captação de segmentos de mercado que visitem o arquipélago fora das épocas de maior afluência, “onde é possível encontrar as melhores condições para a prática de desportos e outras atividades”.

Na sua intervenção, a Secretária Regional considerou que é prioritário “desenvolver uma política que privilegie as iniciativas que apresentem um efetivo retorno promocional ou gerador de fluxos turísticos e, por isso, serão incentivados, cada vez mais, este tipo de eventos desportivos que permitem a sustentabilidade do setor”.

 

 

 

Açores 24Horas / Gacs

talholagoa1

 

Download PDF




atlanticolineIniciou-se hoje, 18 de maio, a operação sazonal da Atlânticoline, S.A., com a viagem inaugural a sair do porto de Ponta Delgada com destino à Praia da Vitória e à Horta. Esta operação, que garante a ligação entre todas as ilhas do arquipélago, vai prolongar-se durante toda a época alta, terminando no final do mês de setembro.

Pela primeira vez, a operação sazonal será realizada com dois navios “high speed”. O primeiro navio iniciou hoje as suas viagens no arquipélago, ao passo que o segundo navio chegará mais tarde para reforçar a operação nos períodos de maior procura.

A operação sazonal será reforçada também com a entrada em funcionamento das ligações dos portos do Triângulo a Angra do Heroísmo, operadas pelos ferries Gilberto Mariano e Mestre Simão, a partir de meados de junho e até meados de setembro.

Com a introdução de dois navios mais rápidos, a Atlânticoline espera otimizar o serviço, com a redução dos tempos de viagem e a diminuição dos transbordos, resultado da realização de viagens diretas entre os vários grupos do arquipélago, sem necessidade de troca de navio.

 

 

Açores 24Horas / NI

talholagoa1

Download PDF



Diretor / Editor – Sissa Madruga
Sede Redação e edição – Rua do Cemiterio, nº16, Livramento-9500 615 Ponta Delgada
Email - acores24@gmail.com
Telm - +(351) 913290915

Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) - Registo nº 126316
Estatuto EditorialAçores 24Horas © 2013
Propriedade Fabio Celio Ribeiro - NIF 214139336