Autárquica​s: Retrato político e candidatos – Região Autónoma dos Açores

0

Retrato político e candidatos às eleições autárquicas de 29 de setembro de 2013, por concelhos da Região Autónoma dos Açores.

 

ANGRA DO HEROÍSMO

Álamo Meneses, que foi secretário regional nos quatro executivos açorianos de Carlos César, é a aposta do PS para recuperar uma maioria confortável na Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, na ilha Terceira.
Os socialistas conquistam a liderança na autarquia desde 1997, ano em que venceu as eleições Sérgio Ávila, atual vice-presidente do Governo dos Açores.
Em 2009, Andreia Cardoso, que tinha substituído o anterior presidente de câmara, venceu as eleições, mas o PS ficou em número minoritário no elenco camarário, com uma presidente e dois vereadores contra três vereadores do PSD e um do CDS-PP.
A autarca abandonou o mandato a meio, invocando razões pessoais, sendo substituída por Sofia Couto, número quatro da lista, que não integra agora a equipa do candidato Álamo Meneses.
PSD e CDS-PP, que concorreram separados em 2009, juntam-se agora na coligação “Por Angra”, que apresenta António Ventura (PSD) como candidato à autarquia e Artur Lima como primeiro candidato à Assembleia Municipal. Os dois são atualmente vereadores na autarquia e deputados no Parlamento dos Açores. Artur Lima é também o presidente do CDS-PP/Açores.
O BE e a CDU, que nas últimas eleições não alcançaram representação nem na câmara, nem na Assembleia Municipal, voltam a concorrer, apresentando candidatos diferentes.
O psicólogo Paulo Mendes, que concorreu há quatro anos à liderança da autarquia do concelho vizinho (Praia da Vitória) e já foi deputado regional, é o candidato do BE.
António Pedro Inocêncio, sindicalista, estreia-se como candidato da CDU.

Candidatos:

BE – Paulo Mendes

PCP-PEV – António Pedro Inocêncio

PSD/CDS-PP – António Ventura

PS – Álamo Meneses  

 

CALHETA

O atual presidente Aires Reis é a aposta do PSD para continuar mais quatro anos à frente dos destinos da Câmara Municipal da Calheta, uma das duas autarquias da ilha de São Jorge, nos Açores, e que sempre foi gerida pelos social-democratas.
Mesmo há quatro anos, a Calheta conservou-se nas mãos do PSD, numa região com 19 municípios e em que os socialistas tiveram 12 vitórias.
Aires Reis, funcionário da empresa Eletricidade dos Açores (EDA), propõe-se cumprir mais um mandato (o segundo) como presidente da Câmara Municipal da Calheta, se for reeleito a 29 de setembro.
Já o PS volta a apostar em António Silveira, que já foi o candidato dos socialistas na Calheta há quatro anos, tendo sido eleito vereador.
Porém, este ano, e ao contrário do que é habitual neste concelho, a disputa eleitoral tem um terceiro protagonista. Um grupo de cidadãos independentes, encabeçado por Décio Pereira, concorre à Câmara da Calheta, dizendo que tem como objetivo combater o êxodo populacional no concelho.
A última vez que houve três candidatos a este município foi em 2001, quando o CDS-PP apresentou uma lista, não tendo, no entanto, conseguido eleger nenhum vereador.

Candidatos:

PS – António Silveira

PSD – Aires Reis

Candidatura independente – Décio Pereira

 

HORTA

Gerida há 24 anos por socialistas, a Câmara Municipal da Horta, nos Açores, é disputada este ano por três forças políticas (PS, BE e CDU) e uma coligação do PSD, CDS e PPM.
José Leonardo Silva, atual vice-presidente da autarquia, foi o escolhido pelo PS para tentar prolongar a hegemonia socialista no único município da ilha do Faial, gerido nos últimos dez anos por João Fernando Castro.
Antigo presidente da Junta de Freguesia dos Flamengos, José Leonardo Silva é visto com um candidato “humilde”, que goza de algum apoio popular numa ilha onde os socialistas dispõem de um forte aparelho partidário.
Apesar disso, há quatro anos, o PSD recuperou terreno e aproximou-se da votação dos socialistas. Agora, para tentar recuperar o concelho, o PSD escolheu Luís Garcia, engenheiro zootécnico e deputado no Parlamento dos Açores.
O candidato social-democrata lidera uma coligação que integra também o CDS e o PPM, partidos, até agora, com fraca expressão eleitoral no concelho.
Luís Garcia foi também vereador na Horta entre 2005 e 2009, quando a autarquia era gerida por uma “maioria plural”, formada por uma coligação PS/CDU.
Os dois vereadores da CDU que, nessa altura, integravam o elenco camarário voltam a concorrer este ano.
Maria do Céu Brito, professora, é a candidata da CDU à presidência do município e José Decq Mota, ex-líder (histórico) do PCP/Açores, concorre à Assembleia Municipal.
Na corrida eleitoral está também uma lista de independentes apoiada pelo BE e liderada por João Stattmiller, antigo funcionário das Nações Unidas, que regressou ao Faial após duas décadas a trabalhar no estrangeiro.

Candidatos:

BE – João Stattmiller

PCP-PEV – Maria do Céu Brito

PS – José Leonardo Silva

PSD/CDS-PP/PPM – Luís Garcia

 

LAGOA

O acidente com o candidato inicial do PSD à Câmara Municipal da Lagoa, Gaspar Costa, marca a corrida à presidência desta autarquia da ilha de São Miguel, nos Açores.
O empresário, de 40 anos, tinha sido apresentado como candidato independente com o apoio do PSD a 12 de julho, mas retirou a candidatura a 04 de agosto, por se ter despistado de carro, quando conduzia com uma taxa de 1,65 gramas de álcool no sangue, causando a morte de um jovem de 19 anos.
Em sua substituição, os social-democratas avançaram com José Cabecinha, que era o número dois da lista inicial e que vai defrontar João Ponte, que volta a merecer a confiança do PS na corrida à Câmara Municipal da Lagoa, concelho tradicionalmente gerido pelos socialistas.
O atual mandato de João Ponte, que preside também à Associação de Municípios da Região Autónoma dos Açores, fica marcado pela transição da vila de Lagoa para cidade.
Em 2009, nas últimas autárquicas, João Ponte foi reeleito com maioria absoluta, com 66,36% dos votos contra 25,40% do PSD.
O pintor Eugénio Mota Moura, de 42 anos, é o candidato da CDU e o funcionário da Associação Agrícola de S. Miguel Roberto Oliveira é o do CDS/PP.
Há quatro anos, o CDS-PP conseguiu 3,84% dos votos e a coligação PCP/PEV 1,3%, não tendo nenhuma das duas forças políticas eleito vereadores, que ficaram repartidos entre PS e PSD.

Candidatos:

CDS-PP – Roberto Oliveira

PCP-PEV – Eugénio Mota Moura

PS – João Ponte

PSD – José Cabecinha

 

LAJES DAS FLORES

As Lajes das Flores são governadas desde 1985 por autarcas sociais-democratas, sendo este concelho um dos bastiões do PSD nos Açores, uma região em que o partido perdeu muitas câmaras em 2009, ficando apenas à frente de sete dos 19 concelhos do arquipélago.
Por ter atingido o limite de mandatos estabelecido por lei, o atual presidente, João Lourenço, não pode recandidatar-se ao cargo, mas não deixa de ser, este ano, um dos protagonistas na disputa eleitoral no concelho mais ocidental do país e da Europa.
Assim, João Lourenço avançou como primeiro candidato à Assembleia Municipal pelo PSD, fazendo dupla com Alice Ramos, a engenheira zootécnica escolhida pelos sociais-democratas para se candidatar à presidência da Câmara das Lajes das Flores.
Quanto ao PS, repete o candidato de há quatro anos, Luís Maciel, veterinário e deputado na Assembleia Legislativa dos Açores que, em 2009, perdeu a eleição para o PSD neste município da ilha das Flores.

Candidatos:

PS – Luís Maciel

PSD – Alice Ramos

 

LAJES DO PICO

Cláudio Lopes, do PSD, volta a candidatar-se à presidência da Câmara Municipal das Lajes do Pico, nos Açores, depois de já ter gerido os destinos do município entre 1993 e 2004.
O ex-autarca, que é atualmente deputado à Assembleia Legislativa dos Açores, quer tentar recuperar a presidência da Câmara das Lajes do Pico, que nos últimos quatro anos tem sido gerida por Roberto Silva, do PS.
O autarca socialista recandidata-se a mais um mandato, num concelho em que o PSD e o PS já alternaram no poder por três vezes, embora os sociais-democratas tenham estado mais anos no poder.
Cláudio Lopes e Roberto Silva protagonizaram, durante o atual mandato autárquico, uma luta partidária renhida na Assembleia Municipal das Lajes, que é presidida pelo primeiro, mas muito contestada pelo segundo.
Terra de baleeiros, com pouco mais de 5 mil habitantes, o concelho, situado na costa sul da ilha do Pico, continua, por tudo isto, a ser uma incógnita em termos eleitorais.
Além dos dois maiores partidos, também o CDS-PP concorre nas eleições de 29 de setembro pelo concelho das Lajes do Pico, apresentando como cabeça de lista José Azevedo, um empresário local.

Candidatos:

CDS-PP – José Azevedo

PS – Roberto Silva

PSD – Cláudio Lopes

 

MADALENA

O PS, o partido com mais câmaras municipais nos Açores, quer tentar recuperar o município da Madalena, gerido há 20 anos pelo PSD, aproveitando a divisão interna entre os social-democratas.
Miguel Costa, antigo diretor regional dos Equipamentos do Governo de Carlos César e atual deputado socialista à Assembleia Legislativa dos Açores, é a figura em que o PS aposta para tentar vencer as autárquicas de 29 de setembro no concelho da Madalena.
Os socialistas querem aproveitar a aparente divisão entre os sociais-democratas, depois de a vereadora Maria de Lurdes Silva (que agora se candidata pelo CDS) ter abandonado a gestão da autarquia, por divergências com o presidente, José António Soares (PSD).
O autarca social-democrata ocupou o cargo há cerca de dois anos, em substituição de Jorge Rodrigues, mas é a primeira vez que vai submeter-se a eleições como cabeça de lista.
José António Soares vai contar com a oposição da sua ex-vereadora, que saiu em litígio com a atual gestão camarária, e que se aliou ao CDS, embora na qualidade de independente.
Na corrida autárquica está também Sérgio Gonçalves, da CDU, que concorre num concelho onde os comunistas têm fraca expressão eleitoral, mas onde, este ano, apresentam listas para a Câmara e para a Assembleia Municipal.

Candidatos:

PCP-PEV – Sérgio Gonçalves

CDS-PP – Maria de Lurdes Silva

PSD – José António Soares

PS – Miguel Costa

 

NORDESTE

O atual vice-presidente da Câmara Municipal do Nordeste, Rogério Frias, é o candidato do PSD na corrida pela manutenção da presidência da autarquia, que, desde a instauração do regime democrático, em 1974, sempre esteve na posse do partido.
Rogério Frias é natural da ilha Terceira, mas reside há vários anos no concelho ao qual agora se apresenta a votos. Militante do PSD, surge com um candidato peculiar à Assembleia Municipal, o professor José Carlos Carreiro, atual presidente da câmara, que não se recandidata por ter atingido o limite de mandatos imposto por lei.
Carlos Mendonça, fisioterapeuta, deputado na Assembleia Legislativa dos Açores e militante socialista, volta a ser o candidato do PS no Nordeste, após ter sido derrotado em 2009, tendo assumido o seu lugar como vereador.
Achadinha e Achada constituem as duas únicas freguesias conquistadas pelo PS nas últimas eleições autárquicas, num conjunto de 9, sendo as restantes sete detidas pelos social-democratas.

Candidatos:

PS – Carlos Mendonça

PSD – Rogério Frias

 

PONTA DELGADA

A corrida deste ano à Câmara de Ponta Delgada fica marcada pela desistência do candidato do CDS-PP, Hélio Matos, presidente da Comissão Política de Ilha de São Miguel do partido, em pleno combate eleitoral, alegando divergências com a liderança do CDS/Açores.
O CDS-PP acabou por, em tempo recorde, elaborar uma nova lista, encabeçada por Pedro Pereira, para concorrer à maior autarquia dos Açores, um município gerido pelo PSD desde 2001 e um dos mais disputados em eleições autárquicas.
O novo candidato do CDS-PP é membro da Comissão Política Regional do partido desde 2011 e integrava a Comissão Política concelhia de Ponta Delgada, entretanto demissionária.
Do lado do PSD, o partido aposta em José Manuel Bolieiro, que é o presidente em exercício da autarquia desde agosto de 2012, quando Berta Cabral, atual secretária de Estado e ex-líder do PSD na região, abandonou o cargo que ocupava desde 2001 para se candidatar à presidência do Governo Regional, uma eleição que perdeu para os socialistas.
Há quase 17 anos no Governo Regional, o PS aposta forte nesta disputa pela presidência de Ponta Delgada, um município que há muito persegue: José Contente, ex-secretário regional dos governos de Carlos César, é a escolha do PS.
Quanto à candidatura da CDU, volta a ser liderada por Carlos Ribeiro, professor da Universidade dos Açores.
O independente e também professor da Universidade dos Açores Jorge Kol de Carvalho é o candidato do BE. Depois de ter presidido à delegação dos Açores da Ordem dos Arquitetos entre 2003 e 2008, Kol de Carvalho estreia-se agora numa disputa eleitoral.

Candidatos:

BE – Kol de Carvalho

CDS-PP – Pedro Pereira

PCP-PEV – Carlos Ribeiro

PS – José Contente

PSD – José Manuel Bolieiro

 

POVOAÇÃO

O militante socialista Carlos Ávila, funcionário público aposentado, vai tentar uma reeleição na Povoação, na ilha de São Miguel, nos Açores.
O concelho está a tentar recuperar de uma situação financeira difícil que, de acordo com o atual presidente da câmara, foi criada pelo seu antecessor, eleito pelo PSD.
Carlos Ávila, que não é natural do concelho, mas reside na Povoação há mais de uma década, vai confrontar-se com Delmar Medeiros, bancário e presidente de Junta de Freguesia das Furnas, uma das mais importantes do concelho, que se apresenta como independente à frente das listas do PSD.
Nas últimas eleições autárquicas, em 2009, Delmar Medeiros foi apontado pelo então líder do PS e presidente do Governo dos Açores, Carlos César, como o seu candidato, mas após um estudo de opinião na posse dos socialistas que dava a vitória a Carlos Ávila, o atual presidente da Junta de Freguesia das Furnas foi deixado cair em detrimento do atual presidente da câmara.
Delmar Medeiros volta agora a tentar alcançar a Câmara Municipal de Povoação, mas desta vez com o apoio dos social-democratas.
Num concelho sem hegemonia política, socialistas e social-democratas têm vindo a alternar na presidência da autarquia desde as primeiras eleições locais, em 1976.

Candidatos:

PS – Carlos Ávila

PSD – Delmar Medeiros

 

PRAIA DA VITÓRIA

O socialista Roberto Monteiro recandidata-se à Câmara Municipal da Praia da Vitória, na ilha Terceira, nos Açores, procurando um terceiro mandato.
O candidato, que é gestor de empresas, ganhou as últimas eleições com uma expressiva maioria, 69,5% dos votos, o que se traduziu na eleição de cinco vereadores do PS, contra dois do PSD, sem outras forças políticas representadas no elenco camarário.
Além de ter uma maioria confortável na câmara e na Assembleia Municipal, Roberto Monteiro contou ainda, neste mandato, com o apoio dos presidentes de junta, já que o PS elegeu autarcas nas 11 freguesias do concelho.
Já o PSD tenta recuperar uma autarquia que antes de 2005 foi sempre social-democrata, à exceção do período entre 1989 e 1993, em que governou uma coligação formada pelo PS e pelo CDS-PP.
A candidata social-democrata é Judite Parreira, professora do ensino básico e atriz, que foi eleita deputada regional nas últimas eleições nos Açores, em 2012, ocupando o segundo lugar na lista da ilha Terceira.
A concorrência de Roberto Monteiro é, aliás, toda no feminino e ligada à educação.
O CDS-PP apresenta como cabeça de lista à Câmara Municipal da Praia da Vitória a professora universitária Emiliana Silva, que nas últimas eleições foi eleita como única deputada do partido na Assembleia Municipal da Praia da Vitória.
A auxiliar de educação Ana Oliveira estreia-se como candidata do BE.

Candidatos:

BE – Ana Oliveira

CDS-PP – Emiliana Silva

PS – Roberto Monteiro

PSD – Judite Parreira

 

RIBEIRA GRANDE

O PS volta a apostar no nome do atual presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, Ricardo Silva, para garantir um terceiro mandato nesta autarquia da costa norte da ilha de São Miguel, nos Açores.
O socialista concorre a um último mandato permitido por lei, sendo que nas últimas autárquicas, em 2009, venceu as eleições com 54,50% de votos, conseguindo o PS quatro dos sete mandatos na Câmara Municipal da Ribeira Grande.
Para tentar destronar o socialista, o PSD apresenta uma “alternativa jovem”, o seu secretário-geral, Alexandre Gaudêncio, de 30 anos, que se candidata ao concelho mais jovem dos Açores.
Natural e residente naquele concelho de São Miguel, Alexandre Gaudêncio promete “um novo começo”, critico dos oito anos de governação socialista de Ricardo Silva.
Também voz crítica na Assembleia Municipal, o BE aposta forte na candidatura à Câmara da Ribeira Grande, apresentando a coordenadora nos Açores do partido, Zuraida Soares, que é também deputada na Assembleia Legislativa Regional.
A CDU aposta em João Gomes, comerciante e militante do PCP.

Candidatos:

BE – Zuraida Soares

PCP-PEV – João Gomes

PS – Ricardo Silva

PSD – Alexandre Gaudêncio

 

SANTA CRUZ DAS FLORES

As autárquicas deste ano voltam a ser uma disputa entre apenas dois candidatos em Santa Cruz das Flores, depois de em 2009 quatro forças políticas terem entrado na corrida eleitoral, mas apenas PS e PSD terem eleito vereadores: quatro os socialistas e um os sociais-democratas.
Manuel Pereira, eleito presidente há quatro anos, passou no ano passado o cargo a José Carlos Mendes, a quem cabe agora a missão de tentar manter a autarquia nas mãos dos socialistas.
O outro candidato à presidência deste concelho, um dos dois municípios da ilha das Flores, nos Açores, é o independente William Braga, que é apoiado por uma coligação PSD/CDS.
Cabe a William Braga tentar retirar aos socialistas um município que o PS governa consecutivamente desde 2005, ano em que ganhou a corrida eleitoral a uma “coligação de cidadãos”, sem que nenhum outro partido tenha apresentado candidaturas.
Antes, o município tinha sido governado pelo PSD durante mais de vinte anos consecutivos.

Candidatos:

PS – José Carlos Mendes

PSD/CDS-PP – William Braga

 

SANTA CRUZ DA GRACIOSA

O atual presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz da Graciosa e antigo deputado regional, Manuel Avelar Santos, recandidata-se, este ano, ao cargo e novamente pelo PS.
Pela frente, vai encontrar o atual presidente da Assembleia Municipal de Santa Cruz da Graciosa, o social-democrata João Cunha.
O PS só venceu a autarquia da Graciosa nas últimas eleições, em 2009, não tendo, no entanto, conseguido ganhar na corrida à Assembleia Municipal.
João Cunha, antigo deputado no Parlamento regional, tenta agora recuperar uma autarquia que o PSD liderou desde 1976.
Das quatro juntas de freguesia da ilha Graciosa, apenas Santa Cruz é liderada por um autarca socialista. Luz, Guadalupe e São Mateus têm autarcas do PSD.
A Graciosa foi também a única ilha em que o PSD ganhou nas últimas eleições regionais, em outubro do ano passado, tendo eleito dois dos três deputados possíveis à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores. As restantes oito ilhas deram vitória ao PS.
Mas quando os candidatos dos dois maiores partidos políticos julgavam que iriam disputar a autarquia da Graciosa sozinhos, surgiu uma nova candidatura independente.
O movimento “Nova Esperança” apresenta como candidato à autarquia João Manuel Melo Picanço, que foi presidente da Associação de Agricultores da Ilha Graciosa.

Candidatos:

PS – Manuel Avelar Santos

PSD – João Cunha

Movimento “Nova Esperança” – João Manuel Picanço

 

SÃO ROQUE DO PICO

O concelho de São Roque do Pico, nos Açores, considerado um antigo bastião do PSD, só por uma vez mudou de mãos, desde as primeiras eleições locais realizadas em democracia, em 1976.
Gerida há 20 anos por autarcas social-democratas, só nas eleições de 1989, o PSD perdeu em São Roque, mas para um antigo presidente social-democrata, que tinha abandonado o partido e concorreu pelas listas do PS.
Até essa altura, e desde 1993 para cá, os cerca de 4 mil habitantes do concelho têm dado sempre a vitória ao PSD, que volta, no entanto, a revelar divisões internas em ano de eleições autárquicas.
Luís Filipe Silva, atual presidente da Câmara, recandidata-se para mais um mandato, mas conta, desta vez, com a oposição de um antigo vereador do PSD, que concorre, como independente, nas listas do CDS.
José Manuel Xavier Ávila abandonou o partido por divergências com o líder regional do PSD, Duarte Freitas, também ele natural e residente em São Roque do Pico, e pretende agora “baralhar as contas” no concelho.
Atento a esta “guerra” está o candidato do PS, Mark Silveira, que aposta num alegado “bom relacionamento” futuro entre o Governo Regional socialista e a Câmara de São Roque, para vencer as eleições.

Candidatos:

CDS-PP – José Manuel Ávila

PS – Mark Silveira

PSD – Luís Filipe Silva

 

VELAS

PS, PSD e CDS candidatam estreantes à presidência da Câmara Municipal das Velas, na ilha de S. Jorge, nos Açores, um município atualmente governado pelos socialistas.
Para tentar suceder a Manuel Soares Silveira a partir de 29 de setembro, o PS candidata à presidência do município o empresário João Paulo Oliveira, natural e residente na vila das Velas.
A missão de João Paulo Oliveira é manter nas mãos do PS uma autarquia que os socialistas conquistaram pela primeira vez, sozinhos, em 2009.
A 29 de setembro, os social-democratas pretendem, assim, recuperar a liderança do município, apresentando como cabeça de lista da sua candidatura autárquica Paulo Silveira, atual presidente de Junta de Freguesia das Velas.
Até 2009, o PSD sempre tinha estado à frente do município das Velas, sendo a única exceção o mandato entre 1989 e 1993, quando uma coligação PS/CDS conquistou a presidência da autarquia.
Este ano, pelo CDS/PP concorre o atual deputado no Parlamento dos Açores Luís Silveira.
Também a CDU, coligação formada pelo PCP e Verdes, entregou listas nas Velas, mas apenas à Assembleia Municipal, sendo o primeiro candidato um jovem estudante universitário, António Machado.

Candidatos:

CDS-PP – Luís Silveira

PS – João Paulo Oliveira

PSD – Paulo Silveira

 

VILA DO CORVO

As eleições autárquicas no mais pequeno município do país, e o único que não tem freguesia, voltam este ano a ser disputadas por apenas dois candidatos, apoiados pelos dois maiores partidos: PS e PSD.
Os dois partidos têm-se, aliás, alternado na presidência da autarquia da ilha do Corvo, nos Açores, onde vivem pouco mais de 400 pessoas e onde, em 2009, estavam inscritos 349 eleitores. A única exceção foi o resultado das eleições de 2001, quando uma lista apoiada pelo CDS-PP conseguiu mais votos do que PS e PSD, mas elegeu o mesmo número de vereadores do que os socialistas (2).
Em 2009, a vitória foi para os socialistas, com uma lista encabeçada por Manuel Rita, um empresário que já tinha presidido ao município de Vila do Corvo entre 1994 e 2001, mas pelo PSD, tendo-se depois incompatibilizado com o partido.
Para tentar manter a autarquia sob gestão socialista, o PS candidata José Manuel Alves da Silva, 41 anos, coordenador de aeródromo.
Já o PSD escolheu o ex-deputado na Assembleia Legislativa dos Açores José Manuel Nunes para disputar a presidência da Câmara Municipal de Vila do Corvo.

Candidatos:

PS – José Manuel Alves da Silva

PSD – José Manuel Nunes

 

VILA DO PORTO

O PSD espera manter a presidência da Câmara Municipal de Vila do Porto, na ilha de Santa Maria, com a recandidatura de Carlos Rodrigues.
O social-democrata Carlos Rodrigues pretende cumprir um segundo mandato a partir de 29 de setembro numa câmara que conquistou ao PS em 2009, protagonizando uma das maiores surpresas das eleições de há quatro anos nos Açores.
Vila do Porto foi, aliás, a única câmara municipal dos Açores que os socialistas tinham e perderam para o PSD há quatro anos, contrariando a “tendência” das eleições daquele ano, quando o PS conquistou, pela primeira vez, a maioria dos concelhos do arquipélago (12 dos 19 municípios açorianos).
Este ano, Carlos Rodrigues vai disputar a única autarquia da ilha de Santa Maria com o antigo deputado no Parlamento Regional Duarte Moreira, que encabeça a lista da candidatura socialista.
O desafio do PS é recuperar a gestão do concelho, que governou consecutivamente ao longo de décadas, até 2009.
Na corrida eleitoral em Vila do Porto há ainda uma lista da CDU, protagonizada pela engenheira técnica de eletrotecnia Ana Loura.

Candidatos:

PCP-PEV – Ana Loura

PS – Duarte Moreira

PSD – Carlos Rodrigues

 

 

VILA FRANCA DO CAMPO

PSD e PPM surgem coligados em Vila Franca do Campo, numa aliança que serve de base à candidatura de Rui Melo (PSD), destronado da presidência da câmara municipal nas últimas autárquicas, em 2009, pelo socialista Carlos Cordeiro, pediatra, que não se recandidata.
A coligação apresenta como candidato à presidência da Assembleia Municipal Paulo Gusmão, um jovem advogado, natural do concelho, que já foi líder do CDS-PP na ilha de São Miguel, bem como deputado, mas que se encontrava afastado da política ativa na sequência de divergências com a liderança do partido nos Açores.
Rui Melo, consultor comercial, vai defrontar o presidente da Assembleia Municipal de Vila Franca do Campo, líder da estrutura concelhia do PS e deputado à Assembleia da República, Ricardo Rodrigues, que tem vindo a fazer a sua carreira política em Lisboa após ter abandonado o cargo de secretário regional do Governo dos Açores de Carlos César.
Também a CDU se apresenta a votos por este concelho, recorrendo ao independente Paulo Pinto, professor, afirmando que tanto Rui Melo como Ricardo Rodrigues são figuras do passado.
Para além dos candidatos socialista, social-democrata e da CDU, há ainda um independente. Trata-se de Jorge Gago da Câmara, topógrafo de profissão e empresário que, até há pouco tempo, era militante socialista e afirma estar desencantado com os partidos políticos.

Candidatos:

PCP-PEV – Paulo Pinto

PS – Ricardo Rodrigues

PSD – Rui Melo

Independente – Rui Gago da Câmara

 
Lusa

Pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here