Editora Companhia das Ilhas inicia colaboração com Teatro Micaelense no projeto Leituras Dramatizadas

0
196

A editora Companhia das Ilhas inicia este ano uma colaboração com o Teatro Micaelense no projeto Leituras Dramatizadas, que esta estrutura cultural micaelense promove, também com a parceria do Instituto Cultural de Ponta Delgada.

Sob a coordenação de Eleonora Marino Duarte e apresentação de Leonor Sampaio a iniciativa começa já neste mês de Janeiro, dia 25, com a obra escolhida  Al Pantalone, de Mário Botequilha, um espectáculo de commedia dell’arte, sobre o momento histórico atual de Portugal e do mundo. 

Al Pantalone estreou-se em 10 de Janeiro de 2014 no Teatro Meridional, em Lisboa e foi distinguido com o PRÉMIO DO PÚBLICO do Festival Internacional de Teatro de Almada 2014 e com o PRÉMIO NACIONAL DA CRÍTICA 2014 da Associação Portuguesa de Críticos de Teatro.

Mário Botequilha é argumentista de televisão e cinema desde o século passado e autor de textos satíricos para jornais, com destaque para O Inimigo Público. Escreveu as peças de teatro Contos do Ócio, O Picas, Delírios dell’Arte, O Estado da Nação e este Al Pantalone.

No dia 27 de Março, em comemoração do Dia Mundial do Teatro, realizar-se-á uma edição especial das Leituras Dramatizadas, com a obra Peça romântica para um teatro fechado, de Tiago Rodrigues, dia em que serão também realizadas leituras com a participação do público escolar. 

Rui Pina Coelho – que coordena, com Carlos Alberto Machado a colecção azulcobalto | teatro, da Companhia das Ilhas, em que este e outros textos foram publicados – escreveu sobre esta obra: “Trata-se de um divertimento na boa tradição da comédie de coulisses (as comédias de bastidores). Num teatro fechado – fechado tanto literal como metaforicamente – um ex-casal (Clara e Fernando) tentam “fechar” a sua relação e remeter os restos da sua relação há muito terminada para o (inequivocamente borgesiano) Museu Universal (Mundial/Nacional/Internacional/Municipal/Intergalático) do Esquecimento.» Uma comédia de «dimensões pirandelianas, tornando-se num hábil jogo teatral, bem-humorado, despretensioso e fluido”.

Tiago Rodrigues é ator, encenador e dramaturgo, considerado um dos mais relevantes criadores portugueses da sua geração, com uma já longa e continuada presença em muitos importantes palcos do Mundo, com espetáculos (especialmente em Festivais Internacionais), ateliers, conferências, obras traduzidas, etc. É atualmente Diretor Artístico do Teatro Nacional D. Maria II.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here