Projeto FORWARD pretende contribuir para atrair mais financiamento para Ciência e Inovação nos Açores

0
104

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia anunciou hoje, em Ponta Delgada, que o Governo dos Açores, através do Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia captou “cerca de 5 milhões de euros para projetos com uma forte base científica”, através da participação em consórcios europeus, sendo que, na totalidade, esse valor corresponde a 27 projetos, cinco dos quais estão já concluídos.

Segundo Gui Menezes, “para a dimensão do Fundo Regional e de uma região como os Açores, é um valor muito significativo”, destacando, por isso, “o bom trabalho” deste organismo enquanto “facilitador de novas linhas de financiamento”.

O Secretário Regional falava durante a apresentação pública do projeto ‘FORWARD’, no valor de 4,7 milhões de euros, que decorre no âmbito do programa Horizonte 2020, envolvendo 24 entidades das 9 Regiões Ultraperiféricas, e onde também esteve presente o Secretário Regional Adjunto da Presidência para as Relações Externas.

Gui Menezes afirmou que este projeto vai permitir à Universidade dos Açores e à Câmara de Comércio e Indústria dos Açores, que são entidades parceiras, “reforçar a sua capacidade técnica no que respeita à Investigação & Inovação, promovendo a integração das entidades do Sistema Científico e Tecnológicos dos Açores e das empresas regionais nas dinâmicas do Horizonte 2020 e, futuramente, do Horizonte Europa”.

O FORWARD surge “numa altura crucial, uma vez que se está a programar este novo quadro de apoio à Investigação & Inovação”, disse, acrescentando que este projeto “prepara a Região para ser mais competitiva na captação de fundos”.

Gui Menezes lembrou que a proposta da Comissão Europeia prevê “um aumento significativo, de 80 mil milhões de euros para 100 mil milhões, para estas áreas no quadro comunitário de 2021-2027, acrescentando também que “demonstra a importância da Ciência no desenvolvimento da Europa no seu todo, bem como a aposta que a Europa faz na Ciência como um veículo de desenvolvimento das nossas sociedades”.

O Secretário Regional frisou que “o trabalho do Governo dos Açores, através da ação coordenada entre os Assuntos Europeus e a Ciência e Tecnologia”, no que respeita ao projeto FORWARD, vai permitir uma “injeção direta de capital na Universidade dos Açores, no valor de 152 mil euros, e na Câmara de Comércio e Indústria dos Açores, no valor de mais de 70 mil euros, para alocar à contratação de recursos humanos e estabelecimento de networking”, entre outros.

“O FORWARD contribui, assim, para o cumprimento de um dos objetivos do programa do Governo no que concerne ao reforço do nosso Sistema Científico e Tecnológico”, disse.

Durante a sua intervenção, Gui Menezes defendeu ainda que “hoje em dia, a Ciência é feita através de parcerias, nacionais e internacionais, sendo necessário que as Regiões Ultraperiféricas consigam entrar em consórcios, facilitando o futuro da Ciência dos Açores”.

O titular das pastas da Ciência e Tecnologia defendeu ainda que “a Ciência não se faz sem pessoas”, sublinhando que “a capacitação dos recursos humanos é fundamental”.

“O envelhecimento dos professores os investigadores é hoje uma realidade um pouco preocupante no nosso país”, afirmou, acrescentando que “é fundamental acarinhar o emprego científico e conseguir integrar mais gente nova, com outras dinâmicas, no nosso sistema de investigação”.

Por seu lado, o Secretário Regional Adjunto da Presidência para as Relações Externas considerou que a aprovação do projeto ‘FORWARD’ marca “uma viragem” e “um novo paradigma” na abordagem de projetos comunitários, sublinhando a sua importância para os Açores e para as Regiões Ultraperiféricas.

Rui Bettencourt defendeu que este projeto é “altamente inédito”, frisando que “é um projeto que marca no tempo, que nos faz entrar num novo paradigma de projetos comunitários e marca uma viragem importante do conhecimento nos Açores”.

Para o governante, “não é tanto os 4,7 milhões de euros que estão em causa neste projeto”, mas, sim, aquilo que significa “como ponto de viragem e como abertura para um mundo novo que está aí, para um novo ciclo de desenvolvimento dos Açores e para uma nova abordagem de projetos comunitários”.

O titular da pasta das Relações Externas recordou também o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelo Governo dos Açores e pelas RUP, desde março de 2017, aquando do Fórum RUP em Bruxelas, altura em que as RUP desafiaram a Comissão Europeia para a necessidade de terem “uma visão de conjunto e uma estratégia conjunta” para a Ciência e Tecnologia, e, mais tarde, por ocasião da Conferência dos Presidentes das RUP, na Guiana, quando foi lançada a nova Comunicação para as RUP e quando o presidente Juncker falou da possibilidade de haver fundos comunitários adicionais para estas áreas.

“Essa grande capacidade que nós mostrámos em dez meses dá-nos uma grande esperança de que podemos entrar nesse novo paradigma de projetos” disse ainda Rui Bettencourt, salientando “a mobilização externa das nove Regiões Ultraperiféricas e interna dos parceiros regionais”.

A partir de 2021, será necessário “ter uma grande capacidade de mobilização interna e externa para novos projetos”, sublinhou o Secretário Regional.

Download PDF

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here