Festival Cordas arranca hoje com a ilha Montanha como palco principal

0
620

A terceira edição do Festival Cordas espalha-se, a partir de hoje, pela ilha montanha com o Museu do Pico, através do Auditório do Museu dos Baleeiros, na Lajes do Pico, e o Santuário dos Dragoeiros, no Museu do Vinho na Madalena, como cenários para eventos deste festival, considerado um dos melhores festivais de músicas do mundo na Península Ibérica, pelos Iberian Festival Awards.

Do programa destaque para João da Ilha, dono de uma voz cálida e intimista, um cantautor açoriano, nascido na Ilha Terceira e estabelecido em Setúbal, que volta ao Pico depois de se ter apresentado no Azores Fringe Festival. Firmando a língua portuguesa e integrando diversas influências que culminam numa sonoridade acústica, calma e sobretudo viajante, a “música do Atlântico”, como se refere, terá um novo palco entre a beleza dos dragoeiros no Museu do Vinho, para a hora de almoço, na sexta-feira 14 de setembro.

É também na hora de almoço, mas na quinta-feira, que a brasileira Carolina Umbelino se estreia nos Açores com a sua Rabeca Nordestina, com um repertório brasileiro e as suas interseções com a música herdada da península ibérica, na ilha de cenário idílico.

O Auditório do Museu dos Baleeiros também tem a sua estreia no Festival Cordas, onde amanhã, quinta-feira, o músico português Rogério Cardoso Pires apresenta mais uma estreia açoriana, com o seu projeto a solo, onde apresentará o CD Bagatelas, em guitarra clássica, prometendo um concerto intimista na vila dos baleeiros.

Durante o CORDAS, lugar ainda para a apresentação do novo CD de Rafael Carvalho, 9 Ilhas 2 Corações, que inclui a viola em 80 músicas tradicionais das 9 ilhas dos Açores. Uma exposição do trabalho de escrita de Rafael Carvalho vai estar patente na Galeria “A Brasa”, onde haverá, também, sábado à noite, um momento íntimo de conversa com o músico. Na tarde de domingo, as audiências aventureiras vão se deliciar com uma apresentação especial onde o habilidoso artista leva a viola para o meio da floresta musical, na MiratecArts Galeria Costa, um palco único que faz do Festival Cordas um dos mais cobiçados: os currais das vinhas da ilha do Pico.

Este ano, a MiratecArts, entidade organizadora do evento, promove a partilha de experiência entre os participantes, numa conferência para que “os artistas se conheçam melhor”, dando “oportunidade às audiências para perceberem um pouco mais sobre os artistas, além dos seus trabalhos em performance”, explica Terry Costa, diretor artístico do festival.

Para o programa de 20 concertos e atividades paralelas do Festival Cordas  visite o site  www.festivalcordas.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here