Avelino Meneses garante que o “essencial” está resolvido sobre a recuperação do tempo de serviço dos professores

0
280

O Secretário Regional da Educação e Cultura afirmou, hoje, em Angra do Heroísmo, que os professores dos Açores podem “estar sossegados” relativamente à recuperação integral do tempo de serviço prestado entre 2011 e 2017.

Avelino Meneses, que falava aos jornalistas no final de um reunião com a Direção do Sindicato Democrático dos Professores dos Açores (SDPA), em que também participou o Vice-Presidente do Governo, Sérgio Ávila, garantiu que o “essencial” está resolvido.

O titular da pasta da Educação frisou que a proposta do Governo dos Açores que foi objeto de apreciação com as estruturas representativas da classe docente, em reuniões mantidas hoje e segunda-feira, recupera “todo” o tempo de serviço congelado.

Avelino Meneses manifestou, por isso, “espanto” por o SDPA que, nos últimos tempos, “tem aplaudido a solução da Madeira e, inclusivamente, a proposta apresentada nos Açores pelo PSD”, não ter demonstrado “tanto entusiasmo” relativamente à proposta do Governo.

“A proposta que colocamos em cima da mesa é nitidamente melhor do que as outras”, afirmou, salientando que a proposta em discussão faz “uma recuperação” do tempo de serviço em “menos anos” e “não está sujeita a quaisquer constrangimentos orçamentais”.

Avelino Meneses referiu que, no encontro de hoje, “houve o aproveitamento” da junção da questão central [recuperação integral do tempo de serviço] a questões que “não estão neste momento em discussão”, acrescentando, por isso, que “prosseguiremos o nosso caminho”.

Questionado sobre a demora em apresentar esta solução, o Secretário Regional da Educação e Cultura recordou que há um ano o Governo dos Açores, pela voz do seu Presidente, disse que “seguiríamos aqui nos Açores a solução nacional”.

Passado esse tempo, acrescentou, “somos confrontados com a inexistência de uma solução nacional” e, na falta desta, “tínhamos o dever de não deixar os professores dos Açores mais tempo à espera de uma solução”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here