Presença do Grupo ACCOR nos Açores “reflete a atratividade que o setor tem tido na Região”

0
167

A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo sublinhou esta sexta-feira,a importância de projetos como o do Hotel Mercure para o setor do turismo, salientando que se trata de “um projeto com capital regional que se alia a uma marca de renome internacional, que pode, por esse efeito, trazer outros fluxos de visitantes” aos Açores.

A marca Mercure pertence ao Grupo ACCOR, que nasceu em 1967 e apresenta uma variedade de conceitos, nomeadamente com as insígnias Sofitel, Novotel, IBIS, Mercure, entre outros.

Marta Guerreiro, que falava após receber os responsáveis pelo projeto deste hotel de quatro estrelas em Ponta Delgada, salientou que ele “reflete a atratividade que o setor tem tido na Região”, que se consubstancia com o crescente investimento, sendo este futuro empreendimento um excelente exemplo disso mesmo.

“É com especial agrado que o vemos nascer”, frisou, acrescentando que constitui uma mais-valia para a oferta turística açoriana, tendo sido publicada hoje em Jornal Oficial a autorização ao promotor Damião de Medeiros Lda. para a construção deste hotel de quatro estrelas, com uma capacidade prevista de 75 quartos e 150 camas.

A Secretária Regional referiu ainda que o projeto incorpora uma forte componente de animação turística, concretamente um centro de bem-estar, piscina exterior e um centro de congressos, o que vai ao encontro da política espelhada no Plano Estratégico e de Marketing do Turismo dos Açores.

A titular da pasta do Turismo acrescentou que o futuro hotel “permite reabilitar um património importantíssimo com uma história que está ligada àquilo que é Ponta Delgada no meio do Atlântico, que poderá e deverá ser transmitia a quem a visita”, dando “um pouco mais de suporte àquilo que devem ser as histórias que temos para contar e que nos distinguem de outros destinos”.

Marta Guerreiro frisou ainda a revitalização do património, através da requalificação do palacete que albergou a ‘Pensão Central’, evidenciando que, em termos arquitetónicos, está presente um interessante contraste entre os elementos preexistentes e o design contemporâneo, onde se perspetiva a oferta de um ambiente acolhedor, com um nível de conforto elevado e um serviço personalizado, através também do desenvolvimento de uma componente temática com o mote ‘A Viagem’ e a criação de um roteiro turístico do património cultural e material e imaterial de Ponta Delgada.

O tema surge associado à história do palacete, que originalmente pertencia aos Barões de Nossa Senhora de Oliveira e já no início do século XIX era conhecido pela realização de viagens recreativas, introduzindo um certo cosmopolitismo na sociedade local, pelo facto de os Açores serem também um ponto de passagem aérea e náutica a nível mundial.

Na ocasião, questionada pelos jornalistas relativamente à distinção dos Açores pela revista Forbes como o destino mais ‘cool’ para se visitar em 2019, a governante salientou que resulta “da consulta de um conjunto de agentes de viagens sobre aqueles destinos que consideram imperdíveis” para este ano, onde Portugal surge por via dos Açores, “o que nos deixa especialmente satisfeitos”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here