Vasco Cordeiro apela aos jovens Açorianos para que se interessem e defendam o projeto europeu

0
104

O Presidente do Governo assinalou hoje o Dia da Europa com uma aula aberta na Escola Secundária Antero de Quental, em Ponta Delgada, onde apelou aos jovens açorianos para que se interessem pela União Europeia, enquanto projeto coletivo que é muito mais do que uma forma de os Açores obterem apoios financeiros.

“Este projeto da UE não é, nem pode ser reduzido apenas a uma questão de ajudas financeiras, de apoios comunitários. O sentido da nossa pertença a este projeto não pode ser um sentido que tenha a ver apenas com o que temos a ganhar desse ponto de vista”, salientou Vasco Cordeiro.

Neste encontro com os alunos, que culminou com um debate sobre questões europeias, o Presidente do Governo sublinhou também que o projeto europeu assenta em valores importantes da paz, da concórdia, da liberdade, do progresso, do desenvolvimento e da coesão entre Povos europeus.

“Todos estes apoios e programas de desenvolvimento são muito importantes, mas a União Europeia não se resume a isso. Deve ir muito para além desse aspeto e tem a ver com a ideia de que é possível num continente que foi, sucessivamente, destruído por guerras, entendermo-nos todos”, destacou Vasco Cordeiro, ao recordar que a Europa, na prática, goza atualmente de um dos mais longos períodos de paz, progresso e desenvolvimento da sua história.

Neste encontro com alunos de Ciências e Humanidades, o Presidente do Governo sublinhou, por outro lado, que a UE “tem donos”, que são os cidadãos europeus, e, neste sentido, apelou aos jovens da Região a “tratarem daquilo que é nosso”.

“A forma mais importante é o voto, mas essa participação passa também por se interessarem por esta União Europeia que é vossa. Se ela funcionar bem, quem são beneficiados são os cidadãos, se ela funcionar mal, quem é prejudicado é cada um dos cidadãos”, referiu.

Nesta “conversa” com os alunos da Escola Antero de Quental, o Presidente do Governo referiu ainda que o projeto europeu precisa de ser defendido, em primeiro lugar, de si próprio, preconizando que, a nível técnico e político, Bruxelas tem de reforçar a atenção às reais preocupações dos cidadãos europeus.

“Mas precisa, também, de ser defendido dos movimentos que estão a surgir, de forma crescente, e que defendem perspetivas de isolamento e de rejeição do projeto europeu”, alertou Vasco Cordeiro, para quem a melhor forma de fazer esta defesa é através da participação e do interesse dos cidadãos no projeto europeu.

“Mesmo com todos os defeitos que a União Europeia tem – e tem alguns – nós estaremos sempre melhor, e seremos sempre mais bem sucedidos com a União Europeia do que sem ela”, assegurou.

“Temos muito a dar à União Europeia. Essa é uma ideia fundamental sobre a forma como nós devemos pensar o nosso relacionamento com a União Europeia”, concluiu VascoCordeiro, que, neste Dia da Europa, fez questão de destacar o papel desempenhado por José Medeiros Ferreira e Jaime Gama, enquanto ministros dos Negócios Estrangeiros, no processo de adesão de Portugal à então Comunidade Económica Europeia (CEE).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here