Prémios ‘Espírito Verde’ atribuídos a cidadãos e instituições que se distinguem por boas práticas ambientais

0
154

O Governo dos Açores, através da Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo, atribuiu cinco prémios ‘Espírito Verde’ e sete menções honrosas, assinalando o Dia Mundial do Ambiente, sob o lema ‘Os bons exemplos são para se seguir… E para se reconhecer!”.

“Estes prémios são dirigidos a empresas, instituições e personalidades que se distingam pelas boas práticas ambientais, bem como pela investigação, ativismo, voluntariado ou mecenato ambientais”, salientou a Secretária Regional na cerimónia de entrega dos galardões, que decorreu quarta-feira, na Horta.

Para a titular da pasta do Ambiente, trata-se de uma forma de “evidenciar o papel dos cidadãos enquanto parte ativa e determinante do desenvolvimento sustentável dos Açores”.

“Os prémios ‘Espírito Verde’ concretizam um entendimento de que toda e qualquer prática ou atividade orientada para uma relação equilibrada e sustentável entre o Homem e a Natureza deve ser identificada, reconhecida e partilhada”, frisou.

“Distinguimos 12 das 35 candidaturas admitidas, mas também enaltecemos o exemplo de todas as outras e o seu contributo para uns Açores mais prósperos e sustentáveis”, acrescentou Marta Guerreiro.

Na sua intervenção, referiu que as candidaturas “foram apreciadas por um júri constituído por cinco painéis de jurados, um por cada categoria, integrando personalidades de reconhecida idoneidade intelectual e credibilidade técnica, científica ou profissional”, a quem, em nome do Governo dos Açores, agradeceu a participação e empenho em todo o processo.

“Está à vista a mudança profunda na valorização e proteção do nosso património natural e cultural, num processo em que todos os Açorianos são protagonistas e, acreditamos, que continuarão a sê-lo de forma cada vez mais efetiva, sempre pela via do reconhecimento, que deve prevalecer sobre a via da sanção, pois aqueles que contribuem para a preservação e divulgação do nosso singular património ambiental devem ser evidenciados por assumirem este compromisso”, reforçou a Secretária Regional.

Na categoria ‘Recursos Naturais e Qualidade Ambiental’  foram atribuídas duas menções honrosas, nomeadamente aos projetos ‘Práticas ambientais em hotelaria’, da Aldeia da Fonte, e ‘Restauro Ecológico e Conservação da Infraestrutura Verde Húmida Costeira’, da Câmara Municipal da Praia da Vitória, sendo o projeto ‘LIFE Ilhas Santuário para as Aves Marinhas’ o vencedor desta categoria.

O projeto ‘Fibras de Conteira e Valorização de Produtos Endógenos, da Cooperativa Associação Agrícola venceu na categoria ‘Investigação e Desenvolvimento’, que também atribuiu uma menção honrosa ao projeto ‘SLAM – Long Term Ecological Study of the Impacts of Climate Change in the natural forest of Azores’.

Na categoria ‘Economia Circular, Verde e Azul’, o vencedor foi a Quinta do Martelo, tendo sido atribuídas menções honrosas à Câmara Municipal da Horta, pelo projeto ‘Eco Quiosque da Semana do Mar’, e à SailAzores, pelo projeto ‘Compensação da Pegada Ecológica’.

Na categoria ‘Educação, Comunicação e Voluntariado’ foram atribuídas menções honrosas ao Centro Ambiental do Priolo e à Best Spot Azores, esta com o projeto ‘Educação Ambiental, Investigação e Conservação’, tendo vencido o prémio a Campanha SOS Cagarro, da Direção Regional dos Assuntos do Mar.

Veríssimo de Freitas da Silva Borges, a título póstumo, foi a personalidade vencedora na categoria ‘Personalidade ou Instituição’.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here