Profissionais de grandes superfícies nos Açores recebem formação em Boas Práticas de Comercialização de Bebidas Alcoólicas

0
139

O Secretário Regional da Saúde destacou hoje, em Ponta Delgada, a importância de os profissionais das superfícies comerciais estarem bem informados sobre boas práticas de comercialização de bebidas alcoólicas para o cumprimento da legislação regional em relação ao consumo e venda de álcool.

“A formação que iniciámos em maio, e que irá abranger cerca de 800 profissionais, entre os quais operadores de caixa, vendedores e gestores de supermercados e hipermercados, além de colaboradores das restantes áreas da empresa, dará competências aos formandos sobre boas práticas na comercialização de bebidas alcoólicas, evitando, por exemplo a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos, e dará competências de prevenção face aos consumos”, afirmou Rui Luís.

O Secretário Regional falava no arranque de uma das 53 ações de formação que vão decorrer até outubro, ministradas por técnicos da Direção Regional de Prevenção e Combate às Dependências.

Estas formações terão lugar nas ilhas de São Miguel, Terceira e Faial, onde estão sedeados espaços comerciais ligados à INSCO – Insular de Hipermercados, S.A., e resultam do compromisso assumido por esta entidade enquanto parceira do Fórum Regional Álcool e Saúde.

A iniciativa visa, entre outros objetivos, a aplicação do novo regime jurídico de venda e consumo de bebidas alcoólicas e a sensibilização e informação sobre as consequências dos padrões nocivos e perigosos de consumo de álcool.

“Como é evidente, a alteração da idade mínima, dos 16 para os 18 anos, para o consumo e venda de bebidas alcoólicas não é uma medida isolada e desgarrada, faz parte de uma estratégia mais ampla de prevenção e de promoção de mudanças de comportamentos, que é efetivada por ações concretas”, frisou o Secretário Regional.

Neste contexto, Rui Luís lembrou a iniciativa no âmbito da prevenção e redução de riscos, operacionalizada através do programa ‘Giros’, nos festivais de verão e nas escolas, que abrangeu, só no espaço de um ano, cerca de 13 mil jovens.

O responsável pela pasta da Saúde sublinhou o mérito desta formação, ao contemplar uma segunda vertente dirigida à capacitação dos profissionais para a prevenção do uso nocivo de substâncias.

Os cursos englobam os módulos de formação ‘D’olho na Venda de Álcool’ e ‘Consumo de Substâncias Psicoativas: prevenção’.

Dos conteúdos programáticos fazem parte o enquadramento jurídico do regime de disponibilização, venda e consumo de bebidas alcoólicas na Região, em locais públicos e em locais abertos ao público, nomeadamente no que diz respeito à restrição, disponibilização, venda e consumo de bebidas alcoólicas, visibilidade dos espaços de exposição de bebidas alcoólicas, fiscalização e encerramento temporário, consumo por menores, contraordenações, sanções acessórias, além de temáticas como a intoxicação aguda, o ‘binge drinking’, os efeitos do álcool no cérebro do adolescente e os estilos de vida saudáveis.

Para Rui Luís, esta é mais uma medida que denota a intervenção transversal e estruturante com que se está a abordar a problemática das dependências na Região.

“Podemos não ter todos os resultados desejáveis no imediato, mas estou certo que estamos a lançar as bases e a envolver a sociedade civil numa metodologia de prevenção de riscos e promoção da saúde que terá reflexos no futuro”, afirmou o Secretário Regional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here