Selo “Clean & Safe” alargado a restaurantes e pode ser pedido a partir de hoje

0
A atribuição do selo “Clean & Safe”, já disponível para alojamentos turísticos e agências de viagens, vai ser alargada aos estabelecimentos de restauração que podem requerê-lo a partir de hoje, disse à Lusa o secretário de Estado do Comércio.

Totalmente gratuito, de adesão voluntária e emitido de forma automática, na hora, o selo “Clean & Safe” regista visualmente o compromisso dos operadores para com as orientações da Direção-Geral da Saúde (DGS) para a reabertura dos estabelecimentos de restauração na sequência do encerramento devido à covid-19.

“Este é um selo de compromisso do operador económico para com o cumprimento das orientações da Direção-Geral da Saúde, que foram publicadas na passada sexta-feira e que são específicas para o setor da restauração”, precisou o secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, João Torres.

O selo tem a validade de um ano e a sua emissão é feita ‘online’ através do portal eportugal.gov.pt.

De acordo com o Plano de Desconfinamento do Governo, divulgado em 30 de abril, os restaurantes e cafés retomam a atividade na próxima segunda-feira, dia 18, mas com algumas restrições no âmbito da mitigação à propagação da pandemia covid-19.

Sublinhando que o selo é uma garantia de que o operador económico está “comprometido com as orientações” da DGS, João Torres precisou que isto não significa que os restaurantes que não tenham este selo “Clean & Safe” “não cumpram” aquelas orientações.

Da mesma forma, notou, o selo não é condição necessária e suficiente para um estabelecimento poder abrir portas e retomar a sua atividade a partir da próxima segunda-feira.

Na semana passada a DGS emitiu orientações para a reabertura dos restaurantes e cafés, que devem privilegiar o uso das esplanadas e o serviço ‘take-away’, incentivar o agendamento prévio e terão de reduzir a capacidade máxima, de forma a assegurar o distanciamento físico recomendado de dois metros entre as pessoas.

As orientações da DGS desaconselham ainda os lugares de pé, tal como as operações do tipo ‘self-service’, como ‘buffets’.

A limpeza e desinfeção dos espaços deve respeitar as orientações anteriormente emitidas pela DGS.

O selo é uma iniciativa da Direção-Geral das Atividades Económicas em articulação com o Turismo de Portugal (que o lançou para empreendimentos turísticos, empresas de animação turística e agências de viagens) e que tem também a colaboração da Agência para a Modernização Administrativa.

João Torres referiu o “esforço notável” que o país está a fazer em conjunto para conter a propagação da covid-19, precisando que “confiança é a palavra chave para a retoma da atividade económica”, sendo este selo “um contributo para que essa confiança seja ainda mais reforçada”.

 

Lusa

Pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here