BE defende reabertura dos serviços de urgência permanente em São Roque e nas Lajes do Pico

0

O Bloco de Esquerda/Açores alertou para a necessidade de “recuperar muita da atividade” na área da saúde, interrompida devido à pandemia, apontando a necessidade de urgências 24 horas por dia nas Lajes e São Roque, no Pico.

“A retoma está a ser feita, porque ela obviamente tem de ser feita. É preciso recuperar muita atividade na ilha do Pico, e em toda a região, ao nível da saúde, que ficou prejudicada e que não foi executada atempadamente e que agora tem de ser realizada. Esta tem que ser uma prioridade absoluta da região”, disse o coordenador do Bloco nos Açores, António Lima, em declarações aos jornalistas.

O dirigente do Bloco de Esquerda na região falava após uma reunião com a Unidade de Saúde da Ilha do Pico, no Centro de Saúde da Madalena.

António Lima frisou que “é preciso perceber o contexto, os motivos e qual é a perspetiva relativamente aos serviços de urgência na ilha do Pico”, nomeadamente aqueles que “não estão a funcionar 24 horas por dia, como acontecia nos Centros de Saúde de São Roque e das Lajes”.

“Percebemos que essa situação foi necessária para proteger os próprios serviços de saúde e a sua manutenção e a sua operação numa situação inesperada em que a incerteza era muito grande e em que o conhecimento e a preparação do próprio Serviço Regional de Saúde causava obviamente preocupação, mas agora entrando numa fase em que sabemos que a covid-19 não vai desaparecer tão cedo é preciso que essa normalidade dos serviços também surja”, salientou.

António Lima disse também não ser aceitável que “os serviços de atendimento urgente 24 horas das Lajes e de São Roque fiquem encerrados permanentemente”, alegando que estão em causa “distâncias muito longas na ilha do Pico”.

O coordenador do BE nos Açores lembrou, por exemplo, que noutras ilhas, nomeadamente “na Calheta de São Jorge, a urgência mantém-se 24 horas por dia e na própria ilha de São Miguel as urgências da Povoação, que também são muito distantes do Hospital de Ponta Delgada, também estão em atividade 24 horas por dia”.

“É preciso que haja também aqui[no Pico] uma retoma e uma preparação da retoma dessa urgência 24 horas por dia, porque a saúde não tem hora”, defendeu ainda, lembrando que “foi aprovado um orçamento suplementar para reforçar o investimento na saúde”.

Outra matéria abordada na deslocação dos dirigentes do BE/Açores à ilha do Pico, onde reuniram-se com o presidente da Câmara Municipal da Madalena, foi a questão da nova fábrica da conserveira Cofaco.

“Estamos em agosto de 2020, quando a promessa era que a fábrica estivesse a funcionar em janeiro de 2020 e não há fábrica nem início de obras e o que se sabe é que foi pedida uma prorrogação do prazo para o levantamento da licença de construção, ou seja, até novembro deste ano, e curiosamente a seguir às eleições regionais”, denunciou António Lima.

Para o coordenador do BE na região, “não há sinais de que haja efetivamente vontade por parte da empresa em construir a fábrica, o que prometeu depois de ter despedido todos os seus trabalhadores”.

 

Lusa

Pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here